quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Não sei se é amor que tens


Foto de J. Pessoa aqui


Não sei se é amor que tens, ou amor que finges,
O que me dás. Dás-mo. Tanto me basta.
Já que o não sou por tempo,
Seja eu jovem por erro.
Pouco os deuses nos dão, e o pouco é falso.
Porém, se o dão, falso que seja, a dádiva
É verdadeira. Aceito.
Cerro olhos: é bastante.
Que mais quero?


Ricardo Reis

2 Comments:

Blogger concha said...

Tão bonito Ana!

2:15 da tarde  
Blogger heloisa said...

"Cerro olhos: é bastante.
Que mais quero?".......
....................EIS A QUESTAO!... Penso, que quero MUITO MAIS!!!
...................
BELISSIMO POEMA, como alias, seria de esperar!

_QUERO E DESEJO, MUITO MAIS PARA SI*, MINHA DOCE AMIGA!
_A *VIDA*, *O TEMPO*... LHO DARA', estou certa!
Beijinho!
(Gostei das noticias!)
Sua Amiga,
Heloisa.
***********

2:07 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home