quarta-feira, março 30, 2005

O mar é longe, mas somos nós o vento


Foto de Miguel Costa


O mar é longe, mas somos nós o vento;
e a lembrança que tira , até ser ele,
é doutro e mesmo, é ar da tua boca
onde o silêncio pasce e a noite aceita.
Donde estás, que névoa me perturba
mais que não ver os olhos da manhã
com que tu mesma a vês e te convém?
Cabelos, dedos, sal e a longa pele,
onde se escondem a tua vida os dá;
e é com mãos solenes, fugitivas,
que te recolho viva e me concedo
a hora em que as ondas se confundem
e nada é necessário ao pé do mar.


Pedro Tamen

9 Comments:

Blogger AmigaTeatro said...

Que onda… que transparência…
Para onde ela vai?

...

;)

8:02 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Saudades do mar. Meu estado não é banhado por ele.

10:49 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sou eu aí em cima. Pedro Camargos.

10:49 da tarde  
Blogger AS said...

Imagem surpreendente!.. Surreal!...

9:27 da manhã  
Blogger Cris said...

Sempre o som e o sabor do mar... sempre esta beleza q emana de todas as tuas escolhas... que bem q sabe vir aqui!

Beijinho

12:16 da tarde  
Blogger Duarte said...

O mar, que bom rever o mar, e no poema nos perdermos na frescura das suas ondas, por ela guiarmos nosso imaginário até ao horizonte que nos compraz de serenidade. Bjinhos

4:57 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

LINDO POEMA!!!!!
E, a IMAGEM, soberbamente BELA!!!!
ESSE MAR!
ESSA ONDA!..........
Nessa "onda", "enrolo o meu Carinho" na Esperanca de que chegue ate' SI*!
Beijinho.
Heloisa.
*****************

5:31 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Regressei do mar e do vento...
Um beijo
Daniel

6:50 da tarde  
Blogger lique said...

Para mim o mar é sempre perto.
Este é um belo poema. Beijinhos

9:37 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home