terça-feira, março 15, 2005

Há palavras que nos beijam

.
Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas,
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.



Alexandre O'Neill

7 Comments:

Blogger AS said...

Há palavras que nos beijam como se tivessem boca... e há beijos que nos falam como se tivessem palavras...

belo poema que escolheste!

Um beijo

9:10 da manhã  
Blogger Duarte said...

Olá Ana,
É bom poder visitar o teu espaço e ler poemas escolhidos com a tua sensibilidade, e que nos deliciam como este. Sugiro, se é que posso, um poema de Ary dos Santos :) Já agora, estou convencido que a tua sensibilidade consegue escrever belos poemas. Fico à espera delas, e lanço este repto :) Bjinhos

9:47 da manhã  
Blogger Cerejinha said...

Lindo!
Este também já faz parte do meu cesto de cerejas :-)

11:30 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Outro grande poeta, o O'Neill. Este poema em particular tem uma grande musicalidade, como eu gosto.
Um beijo
Daniel

4:15 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um dos meus poetas preferidos, que um dia escreveu assim:


Já vivi em saudade,
mas expulsaram-me
(para sempre?...)
da língua portuguesa

beijinhos
vento

9:55 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

"PALAVRAS E IMAGEM" NOS "BEIJAM" COM SUA BELEZA E ENCANTO E A TERNURA DE QUEM AS DEIXA *AQUI* AO NOSSO ALCANCE!!!!!!!!!

_MEU BEIJO, PARA SI*!!!!!!!

Sua Amiga,
Heloisa.
*****************

12:55 da manhã  
Anonymous jpt said...

é raro cá vir mas apenas por falta de atenção minha. o blog tem um excelente critério, muito obrigado

8:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home