quinta-feira, março 17, 2005

Não posso adiar o amor para outro século

.
Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob as montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas.

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes amor e ódio.

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação.

Não posso adiar o coração.


António Ramos Rosa

5 Comments:

Blogger Laura Antunes said...

Não devemos nunca adiar o inevitável. Abraço Laura

1:33 da tarde  
Blogger Laura Antunes said...

Não devemos nunca adiar o inevitável. Abraço Laura

1:34 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Belo poema, mas gostaria de te voltar a sentir por palavras tuas.
Já não dá para adiar para o próximo século... estaremos todos mortos, por aqui...
Um beijo
Daniel

3:09 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

para empurrar os 3 comentários!

3:10 da tarde  
Blogger A tragedy in progress said...

"Não posso adiar o coração."

Lindo

*

10:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home