segunda-feira, setembro 01, 2008

O verão

Foto de Ursula I Abresch aqui


Estás no verão,
num fio de repousada água, nos espelhos perdidos sobre
a duna.
Estás em mim,
nas obscuras algas do meu nome e à beira do nome
pensas:
teria sido fogo, teria sido ouro e todavia é pó,
sepultada rosa do desejo, um homem entre as mágoas.
És o esplendor do dia,
os metais incandescentes de cada dia.
Deitas-te no azul onde te contemplo e deitada reconheces
o ardor das maçãs,
as claras noções do pecado.
Ouve a canção dos jovens amantes nas altas colinas
dos meus anos.
Quando me deixas , o Sol encerra as suas pérolas,
os rituais que previ.
Uma colmeia explode no sonho,
as palmeiras estão em ti e inclinam-se.
Bebo, na clausura das tuas fontes , uma sede antiquíssima.
Doce e cruel é Setembro.
Dolorosamente cego, fechado sobre a tua boca.



José Agostinho Baptista
(in Paixão e Cinzas)

.

13 Comments:

Blogger Maria said...

Belo poema, que não conhecia.
Vou levá-lo comigo para o colocar lá, um dia destes.
Obrigada, Ana.

Beijinhos

2:42 da tarde  
Blogger Dois Rios said...

"Quando me deixas , o Sol encerra as suas pérolas."

Nem o sol suporta a dor de uma ausência.

Linda poesia, Ana.

Beijo,
Inês

4:50 da tarde  
Blogger em azul said...

Muito bonito... e é Setembro!

Abraço

9:46 da tarde  
Blogger Baby said...

"Uma colmeia explode no sonho,
as palmeiras estão em ti e inclinam-se.
"Doce e cruel é Setembro."

Esperemos que a doçura deste Setembro que começa amenize a crueldade que ele possa conter.

Obrigada por partilhares connosco este poema tãqo especial.
Beijos.

12:05 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

A divulgação que fazes da poesia, desculpa-me ser repetitiva, é um trabalho louvável. Este poema é lindo! Um dia, não muito longe, irá parar ao meu Lugar da Poesia.
A tristeza,a amargura, a saudade... fazem de Setembro um mês doloroso. Que assim não seja. Afinal, o amor é a seiva que nos alimenta todo o ano.

Com ternura e gratidão deixo-te um beijinho amigo.

Bem hajas, Aninhas!

Obrigada, amiga, por teres ido ao Ad Libitum.

8:07 da manhã  
Blogger ~pi said...

belo de olfacto:

o cheiro a cor

o sabor das maçãs

setembro

es

co

r

re

r




~

10:36 da manhã  
Blogger Pelos caminhos da vida. said...

Bom dia!

Primeira visita.
Vc me aqueceu com esse poema"O Verão".

beijooo.

1:37 da tarde  
Blogger Marinha de Allegue said...

Ola Ana:
Deixaríasme o teu correo en marinha.allegue@gmail.com para poder contactar?.

Unha aperta.
:)

8:00 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
gosto do doce setembro,
que me recorda o agosto,
setembro calmo e sereno,
ameno do meu sentir,
no provir do brando outono,
,
serenas conchinhas,
,
*

9:34 da tarde  
Blogger Carla said...

lindo poema, onde a natureza encarna o ser humano
beijos

12:14 da tarde  
Blogger Nico said...

gostei...

10:47 da tarde  
Blogger lupussignatus said...

mel

que

se

derrama

pelos

lábios

11:54 da tarde  
Blogger firmina12 said...

o josé agostinho é muito belo

7:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home