sábado, fevereiro 04, 2006

Finis terrae






Fim da terra
onde o céu abraça o mar.

Nuvem
espuma
gaivota
de tudo foi feito o dia
na secreta nostalgia
de uma saudade que volta.
.

13 Comments:

Blogger Zeak said...

Pelas encostas dos blogs vim aqui parar e simplesmente estacionei. Desliguei o motor e não me apetece saír daqui.
Mas como a vida é feita de outras paragens, vou partir, mas sem antes te dizer que este post foi parar ao Plagiadíssimo.
Passa por lá e fica bem

11:10 da manhã  
Anonymous Márcia said...

belos: poema e foto.
um beijo daqui.

12:15 da tarde  
Blogger Su said...

belo abraço dado ao mar
jocas maradas

2:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

longínquos
ascendem gemidos de sons
que passageiros ecoam
nos meus ouvidos quase surdos
da língua trémula do mar

Imagem tranquila, palavras sentidas...

Beijinhos e muita ternura

mARio

3:37 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

Muita saudade daqui, e este post lindo, poema maravilhoso, imagem também. Fico feliz em estar aqui. beijos.

1:13 da tarde  
Blogger A .Carlos said...

Olá Ana,
Boa tarde, um lindo momento de nostalgia, um poema à saudade, sempre presente nas nossas vidas.
Bom Domingo
Bjss
≺ A New Day ≻

:)

4:27 da tarde  
Blogger AS said...

A saudade volta sempre... como a gaivota!...

Beijosss

6:44 da tarde  
Blogger heloisa said...

Pudesse eu, caminhar ate' LA'_*FIM DA TERRA*_!!!!!

LINDO:PALAVRAS E IMAGEM!
Meu Abraco e meu MUITO CARINHO, AQUI* LHE DEIXO!
Sua, Heloisa.
**************

8:34 da tarde  
Blogger lazuli said...

de tudo foi feito o dia
na secreta nostalgia
de uma saudade que volta.
.


Simplesmente..gosto, gosto, gosto...

11:40 da tarde  
Blogger mauroPaz said...

O céu
ou o inferno
me saciava
difícil é viver
em mundo
mistura os dois

1:40 da manhã  
Blogger charlie said...

A saudade é mesmo o sitio onde a terra se afunda debaixo da imensidão do mar.
Tudo se resume é enormidade do vazio que as gaivotas preenchem com os seus traços desenhados contra o ceu e nuvens num poema saudoso.
Lindo...

9:27 da manhã  
Blogger Amaral said...

Onde alguma coisa parece acabar para começar algo de novo… Mas a certeza do recomeço dá-nos a esperança da eternidade...

3:05 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Amiga Ana
Desde este «post» que não tenho passado por cá...penitencio-me por isso, mas prometo vir com mais tempo, ler tudo o que tens publicado e comentar, com todo o prazer.
Parece que os meus dias passaram a ter menos horas do que antes, estranho...outro dos motivos é o meu cansaço físico...enfim, tudo será ultrapassado se Deus quiser.
Beijokas.
Muito obrigado pela tua visita ao meu kalinka e quanto a ires comigo ao cinema, para mim seria óptimo, pois vou sempre sozinha e assim já teria companhia para poder comentar o filme, que adoro fazer e nunca tenho com quem o fazer...

12:03 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home