terça-feira, julho 07, 2009

Vem aos meus sonhos

Foto de Elisabeth Gustafson aqui


Vem aos meus sonhos
faz em mim a tua casa

Planta, em frente, a cerejeira dos
pássaros brancos,
deixa que eles pousem nos ramos e cantem
eternamente,
deixa que nas suas asas de luz eu leia o meu
nome,
antes de os relâmpagos acenderem os prados.

Vem aos meus sonhos,
vê os labirintos por onde me perco,
vê os meus países de mar,
vê, em cada barco que parte do meu coração,
as viagens que não fiz,
os amores que não tive,
a lua cruel da minha solidão.

Vem aos meus sonhos,
traz um fio de água para as dálias do meu
quarto vazio,
não queiras que as suas pétalas sequem muito
depressa,
caindo pelos delicados muros de cristal,
apagando a cor que dava vida aos aposentos do
solitário.

Deixa que ele evoque a secreta doçura das
colmeias,
e vem,
vem aos meus sonhos,
ilumina o meu domingo de cinzas, o meu
domingo de ramos, o meu calvário.

Diz que estás aqui,
nesta página que escrevo para nunca te esquecer.



José Agostinho Baptista

.

15 Comments:

Blogger Maria said...

"faz em mim a tua casa"
é lindo.
Saramago diz que a casa dele é a Pilar...
Belo poema que partilhas connosco, hoje. Obrigada.

Um beijo, Ana

4:04 da tarde  
Blogger Isamar said...

Bem-hajas pela partilha constante de poemas.
Este é lindíssimo.
" faz em mim a tua casa..."

Beijinhos

Bem-hajas!

8:15 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Que saudades de sonhos lindos... até para eles não tenho tempo :)
Um beijo
Daniel

10:47 da tarde  
Blogger Maripa said...

Belíssimo poema,minha amiga.

Como tantos outros que nos vais trazendo.

Bem-hajas!

Beijinho,Ana.

1:09 da manhã  
Blogger maria m. said...

sentido apelo à compreensão, ao fim de uma solidão. belo poema.

um beijo, Ana.

11:49 da manhã  
Blogger O Profeta said...

Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração
Há sempre alguém que nos diz coisas tontas
Há sempre alguém que afugenta a Saudade
Há sempre alguém que nos marca a ferro frio
Há sempre uma alma ausente da verdade

Boa semana


Doce beijo

5:50 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

poesia e encantamento...a tua casa.
beijo, Ana.

9:38 da tarde  
Blogger ~pi said...

belo de passos

da evidência

da coragem,

de oferecer

de ir

de ser,




beijo






~

10:51 da manhã  
Blogger hfm said...

Como eu gosto desta poesia! E que final.

6:29 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Bem bonito!

Cumprimentos meus.

10:27 da tarde  
Blogger Heloisa said...

BELO, COMO SEMPRE MINHA SAUDOSA E LINDA AMIGA**********!!!!

AGUARDO NOTICIAS SUAS!

BEIJINHOS.

Heloisa

6:30 da tarde  
Blogger PAS[Ç]SOS said...

Nos sonhos, pintam-se de mil cores vivas os desejos e, nos sonhos, sopra um vento de prazer. Nos sonhos escrevem-se as palavras, tradução do que não temos mas ousamos querer alcançar. Os sonhos são o terreno onde viver o que não existe, mas ansiamos tornar real.

3:42 da tarde  
Blogger Lmatta said...

belo conjunto
beijos

6:38 da tarde  
Blogger Porcelain Doll said...

Curioso... não costumo chamar ninguém aos meus sonhos... normalmente são tomados de assalto sem qualquer chamamento... :) Beijinhos!

12:39 da manhã  
Blogger Isa said...

A nossa casa será sempre a nossa casa.
A nossa casa dá-nos força para continuar.
A nossa casa é o pilar da nossa vida.
Não devemos deitá-la abaixo.

Beijos

Isa

12:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home