sexta-feira, setembro 23, 2005

Dedução


Foto de Baciar


Não acabarão nunca com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço juramento:
Amo
firme,
fiel
e verdadeiramente.
.
Vladimir Maiakovski

12 Comments:

Blogger hfm said...

Este post ouve-se, como as ondas.

4:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Se existirem verdades verdadeiras, este poema é sem duvida uma verdadeira verdade.
Lindissimo!

beijinhos
meus

5:06 da tarde  
Blogger AS said...

O amor não acaba, mas por vezes ele se esconde....

Um beijo para ti Ana

5:35 da tarde  
Blogger romero said...

El amor es un sentimiento que no tiene fin,no :)
guste del poema, pero la imagen es guapisima !
bueno fin de semana, besitos Ana:)

8:26 da tarde  
Blogger Duarte said...

Esta é uma verdadeira jura de amor. Intensa, genuína, acutilante como a força da paixão.
Continuas a selecionar poemas belíssimos :) Beijos

9:54 da tarde  
Blogger Cristina said...

Ana,
Que lindo poema, e tão verdadeiro.
Adorei
:)
tem um óptimo fim de semana e um beijinhu

5:02 da manhã  
Anonymous Márcia said...

Tomara que seja realmnte assim...
Beijo daqui, onde é primavera, Ana.

6:48 da tarde  
Blogger in_finito said...

Que linda jura de amor! Belo, belo! :)

8:24 da tarde  
Blogger lique said...

Lindíssimo este poema de Maiakovski, Ana! De facto,nada devia acabar com o amor. Mas não é tão verdade assim... Beijinhos

8:38 da tarde  
Blogger TMara said...

o poema, elevado por aquelas fabulosas mãos não nos deixa dúvidas. bom domingo. bjs e;

12:46 da tarde  
Blogger Dizzie said...

-Las manos, dicen y seguran ese amor que provado esta...fiel, firme..

Que belisimo poema, y imagene que lo completa.

:) besitos

4:01 da tarde  
Blogger Quem sabe... said...

-O amor...vale mesmo a pena...agarra-lo...assim, como tão o exprimes...:)

bjs :)

9:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home