segunda-feira, setembro 12, 2005

Ausência


Foto de Don Denney aqui


Eu haverei de erguer a vasta vida
que ainda é o teu espelho:
cada manhã hei-de reconstruí-la.
Desde que te afastaste,
quantos lugares se tornaram vãos
e sem sentido, iguais
a luzes acesas de dia.

Tardes que te abrigaram a imagem,
música em que sempre me esperavas,
palavras desse tempo,
terei de as destruir com as minhas mãos.

Em que ribanceira esconderei a alma
para que não veja a tua ausência,
que como um sol terrível, sem ocaso,
brilha definitiva e sem piedade?

A tua ausência cerca-me
como a corda à garganta.
O mar ao que se afunda.


Jorge Luís Borges

11 Comments:

Blogger Kalinka said...

OLÁ LINDA:
Hoje se quiseres dar uma espreitadela no meu blog, terás uma surpresa, se a Heloísa também quiser compartilhar um momento que foi importante na minha vida há alguns anos atrás, também poderá visitar-me hoje (e sempre).
Sinto-me com vontade de gritar aos 4 cantos do Mundo, e como não posso achei esta forma de «convidar» 2 pessoas só com um pequeno aviso. Beijokas.
Amanhã com mais calma venho cá comentar os teus ultimos posts, pois estou em falha contigo.
Mas depois de veres o k lá está irás compreender que hoje não tenho tempo para mais nada.
Muitas beijokas para ti ANA.

7:10 da tarde  
Blogger romero said...

No hay ausencia
más punzante que la ausencia de los que se aman :)
besitos

7:24 da tarde  
Blogger Dilbert said...

Oi Ana... saudades... é o que trata este teu Post e é o que eu já sentia enquanto estava em férias...
Este teu Post mas, especialmente o anterior "Fica!" está em sintonia com o videoclip "Don't leave home" da Dido que coloquei no confessionário...
vou ler o resto do teu blog para ver o que tenho perdido... jinhos fofos para ti

7:30 da tarde  
Anonymous zezinho said...

Também eu ando ausente de mim próprio, Ana.
Apenas o carinho, a amizade que nos une me faz sentir que a ausência de mim, não é total.
Um beijinho muito grande

9:48 da tarde  
Blogger Cristina said...

Ana,
Acho que o mês de Setembro é o mês da ausência, pois já é o terceiro post que encontro sobre o assunto...Será que nos sentimos sós neste mês por o verão estar acabar? Qual será a razão? é coincidência a mais....
Espero que fiques melhor
:)
beijinhu com carinho

3:37 da manhã  
Blogger in_finito said...

Como é por vezes difícil suportar a ausência! Sobretudo a ausência presente... Este poema de Jorge Luís Borges diz tudo.

10:22 da manhã  
Blogger AS said...

Ana, a ausência é muitas vezes angustiante. Mas quanto maior for o tempo de espera, mais intenso será o momento do reencontro!...

Um beijo

1:41 da tarde  
Blogger Alma de Poeta said...

A pior ausência é de nos sentimos sós no meio da multidão. Toda a outra é questão de tempo ou geográfica, acho eu....beijinho

4:25 da tarde  
Blogger hfm said...

Gosto muito de Borges.

4:44 da tarde  
Blogger raki::... said...

oi!
gostei bastante do teu blog... efectivamente voltarei ca mais vezes...
se quiseres dar uma espreitadela no meu é spirit...of...me!
fica bem... keep the nice work...
rakI

10:32 da tarde  
Blogger Dizzie said...

-Extrañar quien queremos...es eso.
Mui bonito, todo el conjunto.
besitos :)

3:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home