quarta-feira, novembro 28, 2007

Quando amanhece penso...

Foto de Gaylen Morgan


Quando amanhece penso:
Encontro-te no vento
virás abraçar-me como os ramos da árvore
e chegaremos ao coração da cidade

Ao meio-dia sei:
A distância do meu corpo ao teu grito
corresponde à do teu sopro ao meu ouvido
eis a anatomia do silêncio

De tarde fico exausta:
Circulo pelas ruas e roço-me nas praças

À noite adormecemos:
Será que te lembras? será que me lembro?

Amanhã alegro-me de novo:
Imagino a floresta, parto o espelho
e recomeço a ir ao teu encontro.



Teresa Balté

.

10 Comments:

Anonymous maria m. said...

no vento, num sopro de silêncio, nas ruas, na memória, nas fantasias,... dançando no ar os ciclos naturais...

6:02 da tarde  
Blogger Rui Caetano said...

o Circulo do tempo rodeia-nos e traz-nos o correr da vida, ao amanhecer pensamos, ao entardecer pensamos e ao anoitecer dormimos nos nossos pensamentos e edificámos os nossos sonhos e utopias inquietas.

6:03 da tarde  
Blogger Maria said...

É quando estou exausta que circulo pelas ruas e me roço nas praças.....
Excelente....

Beijo

7:12 da tarde  
Blogger Kalinka said...

AMIGA
É IMPERDOÁVEL a minha ausência do teu blog...
Não sei explicar o motivo, desânimo pela Vida, será? ando arredada dos blogs amigos...sem explicação plausível, peço desculpas.
Sei que se inicia em breve um mês que me deixa muito deprimida - Dezembro.

POR CÁ...cada dia que passa, as pessoas não têm tempo para NADA...no entanto, estamos a chegar a uma época do ano, a mais hipócrita do ano - parece que todos se vão lembrar de todos...rrssssssss, que raiva!!!

Eu nunca me esquecerei do País que me viu nascer:
"Cahora Bassa é nossa" foi a célebre frase que mais se ouviu ONTEM em Moçambique!!!

Beijitos.

11:22 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Que dizer de tão belo poema!!!

A tua escolha é 5 estrelas.

Parabéns. É lindo!

11:23 da tarde  
Blogger hfm said...

Não conhecia e gostei muito.

Na Linha de Cabotagem tens qualquer coisa para ti.

7:30 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
eis a anatomia do silêncio,
.
é . . .
*
xi
*

9:28 da manhã  
Blogger Amaral said...

Um encontro com a vida, no despertar de cada momento...
Poema singelo que faz o riacho entrar silenciosamente no mar...

12:10 da tarde  
Anonymous O'Sanji said...

Fui desafiada e resolvi passar o desafio para ti.
Beijo

11:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

mt interessante o blogue. n conhecia.

deixo uma dica de um autor novo que merece ser divulgado:

www.tiagonene.pt.vu

Patsy

2:20 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home