sexta-feira, janeiro 11, 2008

Mektoub



a luminosidade é uma placa de zinco suspensa
do céu do deserto

em redor
a imensidão das areias vibra contra o caos
de pedra e de eufórbios que se multiplicam
a perder de vista

o bafo inquieto dos cavalos acende
a pólvora das festas inesperadas

uma coruja morre
no cimo açucarado da tamareira

caminhas
sitiada pelo canto agudo do muezzin
chamando à oração

mektoub

sítios onde a vida cessou e tudo está escrito
há séculos - onde o coração dos homens
é uma rosa nómada e calcária

no limite da escassa água e desta terra seca
mal abençoada - caminhas
na plana noite das ardósias
nas jeiras de súplicas e recolhimento onde
talvez se esconda
o contorno quase terno do rosto de deus



Al Berto
(in O Medo)


Celebrando o nascimento do poeta a 11 de Janeiro de 1948. Celebrando a sua poesia que permanece viva.
.
Pesquisei o significado da palavra "Mektoub". Obtive "Destino".
Gostaria de saber se o resultado da pesquisa é correcto. Há dias em que o significado das palavras é importante.
.

11 Comments:

Blogger O'Sanji said...

Conhecia a palavra "maktub", título até de um livro do Paulo Coelho (que nunca li, aliás dele só li um livro - "O Alquimista" - e a tradução dele das "Cartas de amor do Profeta", do Kahlil Gibran).

Pesquisei também com esta grafia e olha o que encontrei:
"Quer dizer: "estava escrito". Infelizmente é mal empregado o sentido desta palavra. A maioria das pessoas entende que esta expressão é alusiva ao destino, no sentido de predestinação, ao passo que o verdadeiro sentido é o da decorrência lógica fundamentada no princípio da consequência a partir de uma determinada ação."

Um beijo

12:42 da manhã  
Blogger hfm said...

Para além do poema de Al Berto vejo-me perante a definição de Mektoub - tb irei procurar.

9:43 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Há dias em que as palavras são a terapia de que a alma necessita. Chegaram devagarinho, no silêncio da noite e confortaram-me. Ana, tu tens-me dado tanto! Obrigada! E desta encosta levo sempre o cheiro do mar e a paisagem que mais gosto.
Al Berto, estou com "O Medo" aqui mesmo a dois palmos da minha mão direita.Uma companhia indispensável.
Quando puderes, passa pelo meu blogue. Tens prémio e desafio.

Mil beijinhosssss

10:47 da manhã  
Blogger Maria said...

Al berto foi embora cedo demais. Deixou-nos as suas palavras, sempre belas.
Do que eu sei, mektoub quer dizer "estava escrito", se quisermos poderemos dizer "era o destino", ou "tinha que ser", qualquer expressão parecida com esta...

Beijinhos

12:19 da tarde  
Blogger Licínia Quitério said...

"estava escrito" na areia...
belíssimo este poema.
deixou-nos tão cedo...

1:08 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
O destino não está escrito... e o medo nada resolve, apesar da beleza poética.
Um beijo
Daniel

7:09 da tarde  
Blogger maria m. said...

diz o poeta:
«sítios onde a vida cessou e tudo está escrito
há séculos - onde o coração dos homens
é uma rosa nómada e calcária»

gosto muito da poesia de Al Berto, releio O Medo... obrigada Ana!

8:38 da manhã  
Blogger Maria Luar said...

O destino é feito pelo homem. Al Berto gizou-o muito cedo. No deserto sem esperança.
Abraço

3:28 da tarde  
Blogger Brancamar said...

Venho desejar-te uma boa semana.
Do poema de Al Berto retenho a beleza que tem toda a poesia.
Um abraço

11:19 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
E ao anoitecer
,
e ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcão
deixas viver sobre a pele uma criança de lume
e na fria lava da noite ensinas ao corpo
a paciência o amor o abandono das palavras
o silêncio
e a difícil arte da melancolia
,
in - al berto
,
conchinhas coloridas, deixo
*

11:34 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Amizade não é subtileza da espuma sobre o mar. Nem ideia dos pássaros serem livres por beijarem as nuvens. Amizade também não é a liberdade simulada que foge escorregadia entre os dedos dos sem abrigo e marginalizados.
Amizade é uma sensação mais forte de querer arrancar os corações aos homens para os desfazer em pó. Depois, transformá-los num só e deixá-lo cair do céu. Por fim, respirá-lo. Só.

4:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home