terça-feira, março 04, 2008

Deixa-me levar-te ao meu mar

Foto de Sophie Thouvenin


Deixa-me levar-te ao meu mar
mesmo que só te chegue o ruído súbito de uma mota
ou o meu escandaloso tédio
deixa...
que te leve notícias ocultas
nas minhas gaguejadas palavras
que procure a paisagem mais exuberante
e que te as leve entre os meus dentes
para que as espalhes na húmida tenacidade
dos dedos
quando se transformam em pétalas


Luísa Ribeiro


(... Ler mais poemas , no blog Um Abismo)

.

18 Comments:

Blogger Spectrum said...

Sem dúvida que o poema é lindo. Temo, minha cara amiga não ter eu jeito para a poesia. Nem jeito nem dom. talvez por isso goste tanto deste género literário.
Um grande abraço carregado de amizade.

11:09 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
deixa-me,
ler-te,
repetidamente,
,
conchonhas
,
*

2:44 da tarde  
Blogger Otávio said...

Mais uma vez a dúvida, não sei o que é melhor, o texto ou a foto.

4:03 da tarde  
Blogger O'Sanji said...

O teu bom gosto!
E a Luísa é excelente, mesmo!
Beijo

8:02 da tarde  
Blogger Odilon said...

Que belo poema. Obrigado por trazê-lo para nós.

O teu mapa comportamental já está no mundo. Veja no Guris, eu vi!

10:13 da tarde  
Blogger un dress said...

viagem da

semente

á flor

da

dúvida




~

8:59 da manhã  
Blogger hfm said...

Como gostei! Obrigada pela dica.

11:20 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Eu vou contigo ao teu mar.
Adoro-o.
Excelente poema!

Beijinhossssssss

4:33 da tarde  
Blogger david santos said...

Excellent postagem, Ana!
Este poema é adorável.
Parabéns.

David Santos

5:10 da tarde  
Blogger Vladimir said...

poema maravilhoso e foto magnífica...

8:49 da tarde  
Blogger ~pi said...

belo: que tanto se viaja...

11:10 da tarde  
Blogger Odilon said...

Algumas partes do mapa são apenas ilustrativas. Não tem muito sentido. Quanto a questão de onde nos conhecemos? Do mundo das palavras - ele é extremamente elucidativo para quem é capaz de percebê-lo.

11:54 da tarde  
Blogger Otávio said...

O motivo principal do meu comentário hoje e parabenizá-la pelo Dia Internacional da Mulher.

Abraços.

1:12 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

para um piscino como eu, um convite irrecusável mergulhar nesse belo poema. beijo, Ana.

12:55 da tarde  
Blogger O Profeta said...

Quantas cores tem o teu mar?


Passou o dia sobre as cidades
Esquecido por esta estação
Uma flor deposita no vento uma semente
Este ribeiro leva consigo a ilusão

Secretamente a terra a recolhe
Guarda-a da voragem do vento
Espera que agua a fecunde
Explode a vida a cada momento


Boa semana

Doce beijo

2:52 da tarde  
Blogger Mist said...

A leveza em palavras de mar.

4:27 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
por aqui passei,
,
pedrinhas coloridas,
,
*

5:37 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Amiga,
se quiseres dá um saltinho ao blog da «pikena», ela está em desespero, eu também...
Coitada, tem ali um caso bicudo e eu de ver que ela não está nada bem, também fico mais em baixo...
Ela precisa de umas palavrinhas de incentivo, de ânimo, mas...não faças referência que eu disse alguma coisa.
Beijinhos.

Noite e dia que não páro de vomitar, não estou nada bem...

12:48 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home