sábado, fevereiro 23, 2008

A propósito de estrelas



Não sei se me interessei pelo rapaz
por ele se interessar por estrelas
se me interessei por estrelas por me interessar
pelo rapaz hoje quando penso no rapaz
penso em estrelas e quando penso em estrelas
penso no rapaz como me parece que me vou ocupar com as estrelas
até ao fim dos meus dias parece-me que
não vou deixar de me interessar pelo rapaz
até ao fim dos meus dias
nunca saberei se me interesso por estrelas
se me interesso por um rapaz que se interessa
por estrelas já não me lembro
se vi primeiro as estrelas
se vi primeiro o rapaz se quando vi o rapaz vi as estrelas




Adília Lopes
(in Um jogo bastante perigoso)



.

13 Comments:

Blogger Baby said...

Quem sabe se era apenas uma estrela que se vestiu de rapaz, ou um rapaz que irradiava um brilho tao intenso que mais parecia uma estrela?

Deixo um beijo carinhoso.

10:10 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

É dia de prémios no meu blogue. Passa por lá.
Beijinhosssss

Bom Domingo!

Interessa-te por estrelas, pelo rapaz, por poesia, pelos amigos e pelo mar até ao fim dos teus dias. Serás feliz e farás felizes aqueles que te rodeiam.

Beijinhossssssss

11:04 da manhã  
Blogger ~pi said...

um jogo perigoso para qualquer um.

a evitar, a não repetir

a fingir que não há rapaz

estrela

que os olhos cegaram...

1:01 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
ana
que felicidade,
a "minha" adilia lopes,
,
as minhas cartas de amor
eram tão infelizes
que são hoje cartas de jogar
,
a vida não é
um romance epistolar
ai de quem julga
que é marianna
e vive de cartas
,
in-adilia lopes
-caras baratas . pág. 78-
,
conchinhas
,
*

6:18 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

Há canção de um compositor aqui do sul do Brasil - Vitor Ramil - chamada Estrela, Estrela. Na letra:" Estrela, estrela
Como ser assim?
Tão só, tão só
E nunca sofrer
Brilhar, brilhar
Quase sem querer
Deixar, deixar
Ser o que se vê...

No corpo nú
Da constelação
Estás, estás
Sobre uma das mãos
E vais e vens
Como um lampião
Ao vento frio
De um lugar qualquer...

É bom saber
Que és parte de mim
Assim como és
Parte das manhãs
Melhor, melhor
É poder gozar
Da paz, da paz
Que trazes aqui...

Eu canto, eu canto
Por poder te ver
No céu, no céu
Como um balão
Eu canto e sei
Que também me vês
E aqui, aqui
Com essa canção...

Ao ler o poema, me veio a canção, que é belíssima. um beijo, Ana, e feliz dias que se seguem semana adentro.

6:32 da tarde  
Blogger Amaral said...

Nas estrelas, busca-se o passado distante e elas são a atracção que conduz à eterna procura...
Bonito e alegre jogo de palavras que nos conduz ao imaginário e à dança ternurenta e reluzente da magia que nos empolga...

7:08 da tarde  
Blogger odilon said...

A dúvida existe porque envolve rapazes, se fossem donzelas não haveria dúvidas. As estrelas servem apenas para realçar o brilho delas. Não há como se ver estrelas com uma donzela por perto. Ofuscam qualquer brilho.

9:41 da tarde  
Blogger Otávio said...

Ana,

Cheguei ao seu blog por intermédio do amigo Odilon. Gostei muito do que vi, e muito mais do que senti. Parabéns!

10:08 da tarde  
Blogger maria m. said...

curioso este poema.

um beijo.

1:42 da tarde  
Blogger Duarte said...

Da encosta do mar, em quem mais devemos acreditar do que nas gaivotas? :)
Agora quanto a rapazes e a estrelas, preferia trocar os primeiros por raparigas, uma apenas, todavia arranjava um dilema semelhante ao discorrido nesse belo poema.
Beijinhos, obrigado pelo incentivo, reagi depressa, a mando das gaivotas ou de ti, vai-se lá a saber :) Outro dilema eheh!

2:21 da tarde  
Blogger Spectrum said...

Cronista fabulosa, poeta pouco conhecida, não por imperativo de qualidade - que a tem e muita - mas porque a poesia continua a ser o parente pobre das letras. Vá-se lá entender porquê..
Também gosto de algumas das traduções da Adília.
Ah, e gosto de ti, minha querida amiga. Mas isso tu sabes.

4:27 da tarde  
Blogger Mïr said...

Bela Poesia que aqui pousa.

Obrigada.

4:40 da tarde  
Anonymous anlundo said...

situação problemática se acharmos importante responder a essa dúvida.

8:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home