terça-feira, novembro 04, 2008

Ilha Terceira

Foto de José Figueira aqui


Depois de um fim de semana mergulhada em verde e na tépida suavidade dos dias, regresso, trazendo uma das riquezas da ilha, as palavras do poeta que lá nasceu.


A árvore do silêncio

Se a nossa voz crescesse , onde era a árvore?
Em que pontas, a corola do silêncio?
Coração já cansado, és a raiz:
Uma ave te passe a outro país.

Coisas de terra são palavra.
Semeia o que calou.
Não faz sentido quem lavra
Se o não colhe do que amou.

Assim, sílaba e folha, porque não
Num só ramo levá-las
Com a graça e o redondo de uma mão?
( Tu não te calas? Tu não te calas?)


Vitorino Nemésio
(in Canto de Véspera)

.

15 Comments:

Blogger Maria said...

Que verde!!!!

Um beijo, Ana

12:14 da manhã  
Blogger Carla said...

um sonho de ilha tão bem cantando pelas palavras de Nemésio
beijos

9:33 da tarde  
Blogger Odilon said...

Quão lindas as palavras e a imagem.

11:42 da tarde  
Blogger Maripa said...

Conhecer a Ilha Terceira é um privilégio...tudo nela nos encanta.

O poema de Vitorino Nemésio,lindo,
a trazer-nos o aroma das palavras.

Amo os Açores...

Beijo carinhoso,Ana.

2:16 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Uma ilha lindíssima e as sempre cativantes palavras do professor.
A imagem está excelente. Emana a tranquilidade daquelas gentes. Tão hospitaleiras!

Beijinhos, amiga!

5:49 da manhã  
Blogger maria m. said...

há quanto tempo não lia Nemésio! obrigada, Ana!

9:28 da manhã  
Anonymous Anne Maria said...

Que foto! precisamos de todo esse verde, que toda essa terra seja fértil

bjo ^^

2:36 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

verde que somente a Natureza é capaz...belíssima foto, com um poema de igual beleza. lindo, como sempre, Ana. beijo.

7:03 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
o meu nemésio,
,
obrigado,
,
conchinhas, deixo,
,

8:47 da tarde  
Blogger Baby said...

Vitorino Nemésio, a sua recordação me enternece, as suas palavras me encantam, a tua sensibilidade e bom gosto não me surpreendem, apenas me preenchem!

O "meu mar" foi sereno, azul, amigo, foi tudo muito belo!Obrigada.
Beijo.

10:53 da tarde  
Blogger firmina12 said...

é a minha ilha. fico tão contente de ler estes elogios verdes e hospitaleiros

1:06 da tarde  
Blogger lupussignatus said...

canto

da

terra




coroado

de

verde

1:52 da tarde  
Blogger Platero said...

Olá Ana

Esta foto da Terceira aliada aos versos de Nemésio, despertaram-me gratas recordações.

A minha família é de de lá, pelo que lá passei várias férias, e aquele verde vivo misturado com os nevoeiros matinais no meio da ilha, são das melhores memórias que tenho.

Obrigado, e um abraço

1:58 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

...se uma voz crescesse...

Obrigada Ana, pela partilha de "Nemésio" de quem raramente me lembro...obrigada também pelas palavras (para mim).

Um beijo enorme da
Maria Mamede

5:34 da tarde  
Blogger em azul said...

Eu não consigo calar-me!
Muito menos perante tão bela e bem retalhada imagem
Beijo
em azul

10:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home