domingo, fevereiro 08, 2009

Por um rosto chego ao teu rosto



Foto de Carolien van den Brink
(www.onexposure.net)


Por um rosto chego ao teu rosto,
noutro corpo sei o teu corpo.
Num autocarro, num café me pergunto
porque não falam o que vai
no seu silêncio aqueles cujo olhar
me fala da solidão.
Esqueço-me de mim. Tão quieto
pensando na sua pouca coragem, a minha
sempre adiada. Por um rosto
chegaria ao teu rosto, mesmo de um convite
ousado fugiria, esta mão conhece-te
e desenha no ar o hábito
por que andou antes de saíres
do espaço à sua volta. Estás longe,
só assim podes pedir algumas horas
aos meus dias. Sem fixar a voz
a tua voz é uma corda, a minha
um fio a partir-se.


Helder Moura Pereira
(in De Novo as Sombras e as Calmas)


........................

Faz hoje 4 anos que a Encosta abriu esta janela sobre o Mar. Será possível ter passado já tanto tempo?
Muito obrigada a todos que me têm ajudado a mantê-la aberta. É a vossa presença e a forma como recebem as minhas escolhas que me dão estímulo para continuar.


.

17 Comments:

Blogger Maria said...

Uma forma tão enviezada de... viver...
... sombras?

Bom domingo
Um beijo, Ana

2:42 da manhã  
Blogger Sonia Schmorantz said...

A palavra mágica
dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.
Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.
Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.

Carlos Drummond

Lindo domingo!
abraços

4:04 da manhã  
Blogger Cata-Vento said...

Não conhecia este poeta. Mais um que me dás a conhecer e que contribui para o alargamento do meu conhecimento neste mundo encantatório que é a poesia.

Bem-hajas!

Bom domingo, amiga!

Beijinhos

8:33 da manhã  
Blogger Pico minha ilha said...

Que assim continue por muitos mais.Não conhecia o poeta, gostei.Beijinho e bom Domingo

12:16 da tarde  
Blogger Lmatta said...

lindo conjunto
parabéns
beijos

9:33 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
Ana
parabens pelo
4º Aniversário,
são 20 nestas redes,
,
belo poema do,
Helder Moura Pereira,
,
Ajuda-me, faremos o inventário das coisas
menos úteis, mágoas na mágoa maior do tempo.
Fica, não te aproximes, nenhum dia
é menos sombrio, quando anoitecer vamos ver
as árvores cercando a casa.
,
in-Helder Moura Pereira,
,
conchinhas serenas,
,
*

9:46 da tarde  
Blogger ~pi said...

~

que nem

que não

se

par

ta



~

12:01 da manhã  
Anonymous vladimirdalapa said...

O tempo passa sem que demos por isso. Parabéns.

O Inverno.

O que simboliza para si esta estação do ano?

8:43 da tarde  
Blogger Mário Relvas said...

4 anos... parabéns. Só agora descobri este cantinho. Voltarei!

Saudações e um sorriso

9:44 da tarde  
Blogger Amaral said...

Passamos pelo tempo com uma rapidez estonteante.
Parabéns pelos 4 anos. Parabéns pelo entusiasmo e persistência.
E pelas escolhas que partilhas.
"Sem fixar a voz, a tua voz é uma corda, a minha um fio a partir-se."

12:45 da manhã  
Blogger Maripa said...

Parabéns! Quatro anos na Encosta sempre com o mar por perto a partilhar poesia,bem-hajas.
Que aos 4 se vão juntando outros mais.

Não conhecia este poeta,gostei de ler.

Beijo carinhoso,Ana.

1:17 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

O meu já me parece venho e ainda não tem 2 anos.

Compreendo-a.


Bjs

1:57 da manhã  
Blogger maria m. said...

um amor tímido num belo poema.

Parabéns, Ana, e obrigada por nos trazeres sempre excelente poesia!
beijinhos.

9:21 da manhã  
Blogger Menina_marota said...

Quatro anos... que sejam por mais outros... e outros... e outros...

Parabéns por estes momentos belos e sensíveis que connosco partilhas.


Um beijo e mil felicidades :)))

10:08 da manhã  
Blogger hfm said...

Cheguei atrasada mas dá para dar os parabéns e dizer que te tenho como ponto de referência. Aproveito ainda para dizer um até... de partida para mais uma sazonal viagem.

10:11 da manhã  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Parabéns menina1 quatro aninhos são tão preciosos!

5:58 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

oi Ana, enfim retorno das férias, longas por sinal. aos poucos, retomando os posts, as leituras e comentários. primeiro, então, feliz pelos quatro anos de Encosta, que é essencial e que assim permaneça por muito mais tempo. e, como sempre, um belo poema a fazer do espaço o que ele é. um grande abraço e um beijo.

6:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home