quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Vem comigo


Foto de Ralf Stelander
(www.onexposure.net)



vem comigo
ver as pirâmides fantásticas do vento
no interior luminoso da terra encontrarás
o segredo de quartzo para desvendares o tempo
onde contemplamos a fulva doçura das cerejas

iremos para onde os restos de vida não acordem
a dor da imensa árvore a sombra
dos cabelos carregados de pólenes e de astros
crescemos lado a lado com o dragão
o súbito relâmpago dos frutos amadurecendo
iluminará por um instante as águas do jardim
e o alecrim perfumará os noctívagos passos
há muito prisioneiros no barro
onde o rosto se transforma e morre
e já não nos pertence

vem comigo
praticar essa arte imemorial de quem espera
não se sabe o quê junto à janela
encolho-me
como se fechasse uma gaveta para sempre
caminhasse onde caiu um lenço
mas levanto os olhos
quando o verão entra pelo quarto e devassa
esta humilde existência de papel

vem comigo
as palavras nada podem revelar
esqueci-as quase todas onde vislumbro um fogo
pegando fogo ao corpo mais próximo do meu



Al Berto
(in O Medo)

.

15 Comments:

Blogger Maria said...

E tão bom ler aqui Al berto, tão afastado que anda da blogosfera...
Obrigada, Ana.

Beijinho

2:05 da manhã  
Blogger Cata-Vento said...

Al Berto, um dos grandes da poesia contemporânea. Faz-me companhia na mesa de cabeceira e a ele recorro com frequência.

Bem-hajas, Ana!

Beijinhos mil

6:23 da manhã  
Blogger hfm said...

E tu poderias ter escolhido melhor poeta para eu ler antes de me ir embora?

Um beijo

10:13 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Bela poesia de quem merece os elogios.
Um beijo
Daniel

2:35 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

poesia extraordinária e envolvente. palavras fortes e ricas. como sempre, lugar maravilhoso aqui. (agora, estarei sempre presente, Ana.) beijo e feliz quinta/sexta-feiras.

4:56 da tarde  
Blogger Maripa said...

Poema rico em palavras e sentir.
Ir com Al Berto "...ver as pirâmides fantásticasdo vento
no interior luminoso da terra..."

Beijinho,Ana.

9:52 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Um belíssimo poema do Al Berto, que eu conheci pessoalmente.

Obrigado por mostrá-lo.

12:43 da manhã  
Blogger Amaral said...

Bonito poema, este, que nos chama e dá a partilhar o que se esconde em cada verso...
Vamos ver, vamos crescer, vamos caminhar juntos e dar as mãos... assim, numa leitura suave e plena...

10:51 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
al berto !!!
só tu o lembrarias,
grato
,
dizendo que nos amou
algumas vezes
mas não é o rosto de deus
nem o teu nem aquele outro
que durante anos
permaneceu ausente
e o tempo revelou
não ser o meu.
.
in - al berto - o medo -
,
ana
conchinhas serenas,
deixo-te,
,
*

11:28 da manhã  
Blogger Lmatta said...

lindo poema
bela foto

5:35 da tarde  
Blogger Sonia Schmorantz said...

Palavras bonitas de se ler, muito bonito o poema.
Um abraço e lindo final de semana

2:55 da manhã  
Blogger lupussignatus said...

noctívago

fruto



(amadurecido

pelas

estrelas)

2:09 da tarde  
Blogger Baby said...

"vem comigo
praticar essa arte imemorial de quem espera"...
palavras sábias de um belo poema. Obrigado por tê-lo partilhado connosco e pelo extraordinário poder de selecção.

Beijinhos.

8:10 da tarde  
Blogger maria m. said...

belo poema de Al Berto. Al Berto é um poeta maior.

beijo, Ana.

12:01 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Muito belo Ana; por causa disso nasceu isto...

Vem comigo nas palavras
partida, sonho, viagem
vem comigo, em cada margem
deste rio, onde me lavras!...

Beijos

Maria Mamede

3:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home