quarta-feira, março 24, 2010

Encosto a face à parede

Foto de Maria José Amorim aqui



encosto a face à parede
mais triste do quarto, fiel
guardiã do sol posto.

o coração que me deixaste
é uma casa difícil de habitar.




Renata Correia Botelho



Poema encontrado em "RESUMO - a poesia em 2009", antologia editada pela Assírio & Alvim e a FNAC para celebrar o Dia Mundial da Poesia .

.

7 Comments:

Blogger PAS[Ç]SOS said...

Por vezes, há paredes aquecidas na memória cegando-nos a descoberta de que a temperatura fria da outra mesmo ao lado, poderá ser o novo dia a habitar.

10:22 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
uma casa sem sol,
além de triste é fria .
,
conchinhas espumosas,
,
*

6:42 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Os meus cumprimentos, amiga!

1:29 da manhã  
Blogger Maria said...

Não conhecia esta autora.
Está visto que tenho de visitar a fnac...

É bom ler-te. Outra vez.

Beijinho, Ana.

2:09 da manhã  
Blogger . intemporal . said...

.

. belo .

. es.pasmo onde pasmo .

.

. rendido .

.

. um beijo meu . um bom fim de semana .

.

. paulo .

.

10:25 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
A tua devoção à poesia merece aplauso e admiração. Sabes mais de poesia de que muitos que a escrevem, como eu...
Um beijo
Daniel

3:15 da tarde  
Blogger maria manuel said...

poema conciso, mas intenso de dor.

beijinho, Ana.

11:29 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home