sexta-feira, agosto 26, 2005

Incêndio


Foto de Miguel Costa aqui


se conseguires entrar em casa e
alguém estiver em fogo na tua cama
e a sombra duma cidade surgir na sombra do soalho
e do tecto cair uma chuva brilhante
contínua e miudinha - não te assustes

são os teus antepassados que por um momento
se levantaram da inércia dos séculos e vêm
visitar-te

diz-lhes que vives junto ao mar onde
zarpam navios carregados com medos
do fim do mundo - diz-lhes que se consumiu
a morada de uma vida inteira e pede-lhes
para murmurarem uma última canção para os olhos
e adormece sem lágrimas - com eles no chão



Al Berto

8 Comments:

Blogger Kalinka said...

AMIGA ANA

Aprendi com a primavera a deixar-me cortar e voltar sempre inteira.

(Cecília Meireles)

continua....deita cá para fora tudo o k tens atravessado na garganta, acumulado na mente e esfaqueando o coração, vai ajudar e muito.
1 grande beijo de carinho.

12:33 da manhã  
Blogger AS said...

Ana, o passado é apenas isso... Passado!

E adormece sem lágrimas...

Um beijo

8:27 da manhã  
Blogger Dizzie said...

"...diz-lhes que se consumiu
a morada de uma vida inteira e pede-lhes
para murmurarem uma última canção..."

-Mui bueno, creo que eso hace parte de la vida.~
As veces hay medos, receos que nos atormentan...pero con esa serenitud que descrives acca, ellos se desvanecen...y se adormece sin lagrimas.
-Es un placer venir acca, siempre lleno de emociones, y nuevas sensaciones :)
Te queda bien :)

10:43 da manhã  
Blogger requiescatinpacem said...

Tenho a dizer-te... que não gostei é demasiado esotérico!!

tenta outra vez.

Kisses

4:50 da tarde  
Blogger hfm said...

Obrigada pela visita.
Belo post!

10:04 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

A esperança... nunca morre!!

Um abraço e bom fim de semana ;)

(posso linkar-te? Adorei o teu espaço... ;))

12:55 da tarde  
Anonymous Maria do Ceu said...

Boa selecção, da qual destacarei -..."diz-lhes que vives junto ao mar onde
zarpam navios carregados com medos
do fim do mundo - diz-lhes que se consumiu
a morada de uma vida inteira". Beijinhos.

2:33 da tarde  
Blogger romero said...

Que poema precioso, voy leer mas de ese poeta. :)

Besitos

2:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home