terça-feira, agosto 22, 2006

A tua pele descalça


Foto de João Pedro aqui



Veio uma onda. A varrer o meu sono.
Caminhava nele como caminho na areia.
Nada me une ou divide. Nada me retém.
Sentas-te onde me sento no teu colo
e peço sempre a mesma história. A tua voz
cria as memórias que hei-de ter. Por agora
caminho ao longo das gaivotas e grito como elas
quando a maré baixa. Às vezes apoio-me num rochedo
para dizer "casa" e logo desmorono. Sigo descalça
como tu para dizer "seguimos". Mas são apenas sons
sob o sol de maio. Murmúrios do que não serei.
Sempre tive problemas com o verbo ser. Faço
e desfaço as malas, entro e saio das gavetas.
Pausa na camisa que vestiste da última vez.
Uma vontade de a amarrotar, desapertar os botões
e sentir lá dentro a tua pele cá fora.
Tudo isto é tão verdade como podem ser os botôes
de uma camisa escrita. Confesso que não pensei na cor,
ou se era às riscas. Agora acho que podia ser a de quadrados.
Em qualquer delas a tua pele entra na minha.



Rosa Alice Branco

17 Comments:

Blogger Tons Pastel said...

Bonito poema! Creio que é a primeira vez que por aqui passo e senti o que aqui se disse.
Beijinhos

9:05 da manhã  
Blogger AS said...

Ana, é quando uma onda varre o nosso sono que desfilam diante de nós as realidades que tanto teimamos em ignorar...

Um belissimo poema!

Um beijo. Meu!

3:12 da tarde  
Blogger tibeu said...

Poema muito bonito.
Parabens

7:50 da tarde  
Blogger Luis Eme said...

Belo poema... de onde é que surgem tantos poetas, aparentemente, desconhecidos?

10:19 da tarde  
Blogger AS said...

Ana, um bom fim de semana para ti...

Beijinho

6:05 da tarde  
Blogger João Ferreira Dias said...

muito belo...

9:08 da tarde  
Blogger hfm said...

Gostei do encontro com este poema!

2:01 da tarde  
Blogger Kalinka said...

ANA:

Que belíssima escolha a tua...

Veio uma onda... caminho ao longo das gaivotas e grito como elas
quando a maré baixa.

ONDAS...GAIVOTAS...MARÉ...
palavras tão intensas para mim.

Bom descanso Amiga.
Volta quando sentires vontade.
Beijokas.

11:47 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Na retina continua uma praia... no ouvido a balada... o resto vai-se contando...
Um beijo
Daniel
P.S. Gostava de ter a tua opinião sobre o livro. Obrigado.

7:58 da tarde  
Blogger heloisa said...

Mais uma Belissima FOTO e, um excelente POEMA!

ABRACO-A* MINHA AMIGUINHA*!

_ESTEJA BEM!

Sua, Heloisa.
**************

8:57 da tarde  
Blogger michaeldiary said...

Essa foto dá-me tranquilidade

3:25 da tarde  
Blogger Duarte Temtem said...

Cara Ana

Há já alguns meses que deixei de comentar em blogs, sem que no entanto isso se traduza em ausência. Na verdade, o comentário que te deixei há alguns dias foi uma agradável excepção.

Mas continuo a ler-te e a deliciar-me com muito do que aqui encontro.

Assim, venho dar-te a conhecer um novo espaço que criei, desta feita apenas com palavras de outros autores que de alguma forma me cativaram. Iniciei-o com o "nosso" José Agostinho Baptista.

Espero que gostes (caso aceites o meu convite).

Http://dodesiderato.blogspot.com

Um beijinho

Duarte

6:33 da tarde  
Blogger douglas D. said...

Imagens idas,
tocando o mais profundo...

9:21 da tarde  
Blogger Amaral said...

Uma delícia para ler e saborear!
A poesia sentida em cada palavra, adocicada em cada pormenor...

4:05 da tarde  
Blogger DE PROPOSITO said...

Uma foto bonita, e um texto que dá 'asas' a muitas interpretações.
Fica bem.
Manuel

8:15 da tarde  
Blogger heloisa said...

Passo para me "REFRESCAR" e,,,deixar meu abraco e saudade!

Esteja bem, minha AMIGA!

Heloisa.
************

5:17 da tarde  
Blogger AS said...

Ana, deixo-te um beijo e os votos de um bom fim de semana...

6:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home