domingo, novembro 12, 2006

Coisas de partir





Tento empurrar-te de cima do poema
para não o estragar na emoção de ti:
olhos semi-cerrados, em precauções de tempo
a sonhá-lo de longe, todo livre de ti.

Dele ausento os teus olhos, sorriso, boca, olhar:
tudo coisas de ti, mas coisas de partir...
E o meu alarme nasce. e se morreste aí,
no meio do chão sem texto que é ausente de ti?

E se já não respiras? Se eu não te vejo mais
por te querer empurrar, lírica de emoção?
E o meu pânico cresce: se tu não estiveres lá?
E se tu não estiveres onde o poema está?

Faço eroticamente respiração contigo:
primeiro um advérbio, depois um adjectivo,
depois um verso todo em emoção e juras.
E termino contigo em cima do poema,
presente indicativo, artigos às escuras.


Ana Luísa Amaral

.

12 Comments:

Blogger mares-e-maresias said...

É a primeira vez que passo por aqui. Gostei muito. bom domingo!

3:33 da tarde  
Blogger Cadeira. said...

Encantada com a sua poesia.

5:31 da tarde  
Blogger AS said...

Amar em cima do poema...
Belissimo!...

Um beijo para ti Ana!

10:17 da tarde  
Blogger hfm said...

Gosto muito de Ana Luísa Amaral e de Miró.

10:50 da manhã  
Blogger Fernando Rozano said...

Ana, de uma densidade incrível, a palavra ganha corpo e força e quando menos se espera está dentro de nós. belo poema. (estou escrevndo, ainda esta semana postarei um texto). Beijo.

12:45 da tarde  
Blogger Lmatta said...

gostei muito do teu conjunto
beijo

8:42 da tarde  
Blogger Unicus said...

Gosto de ambos sem dúvida.
Beijinhos, minha querida amiga

9:56 da tarde  
Anonymous Guilherme F said...

"Faço eroticamente respiração contigo". É destas e outras palavras (emoções) que os corações palpitam. Ousaria dizer, mas não digo, penso só para mim "ensina-me a respirar?".

Gostei muito.
E agradeço as tuas palavras.
Bjs
Gui

2:07 da tarde  
Anonymous Jofre Alves said...

Qunado se anda "perdido" na blogosfera, é sempre agradável encotrar uma página agradável, com este delicado poema,a tornar interessante este blogue. Voltarei mais vezes.

11:22 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Amar depende de "posições" e disposições... e os versos traduzem esses sentires...
Um beijo
Daniel

3:44 da tarde  
Blogger Maria said...

Um belo poema de amor
Tem uma boa noite

1:24 da manhã  
Blogger Heloisa B.P said...

*MIRO'*!!!_OUTRO DOS MEUS *PINTORES PREFERIDOS*!!!!

O *POEMA*, gosto dele, inteirinho, mas adorei esta primeira estrofe:

"Tento empurrar-te de cima do poema
para não o estragar na emoção de ti:
olhos semi-cerrados, em precauções de tempo
a sonhá-lo de longe, todo livre de ti."

E... a ULTIMA, REMATE EM *ALTA*!

Assim:

"Faço eroticamente respiração contigo:
primeiro um advérbio, depois um adjectivo,
depois um verso todo em emoção e juras.
E termino contigo em cima do poema,
presente indicativo, artigos às escuras"
****************ONDE E' A SUA *CAVERNA DE "ALI BA BA", ONDE GURADA TANTOS TESOUROS, dos quais nos vai abrindo (aos poucos)os "PORTOES"!!!!

BEIJINHO AMIGA E...SAUDADE!
SEMPRE SAUDADE DE SUA *PALAVRA*!


Heloisa
***********

12:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home