quarta-feira, janeiro 03, 2007

As areias das praias

Foto de João Pedro aqui



Desenha, sobre um mapa onde as ilhas possam flutuar
e as brancas penínsulas se abandonem às aves,
a incerteza do maior amor ou a tranquila

oscilação dos barcos nas enseadas onde o Inverno
pode adormecer. Na solidão, na noite, não demores
o tempo entre os anéis, os dedos tocam sempre
esses despojos de antigas navegações.

Por isso, nas horas tranquilas , entre as falésias,
dedico-me a essa ocupação de recolher o que as marés
trazem às praias, como se fosse ao coração.


Francisco José Viegas

.

13 Comments:

Blogger Maria said...

Que poema lindo escolheste, Ana.
A fotografia é uma beleza - onde fica a praia de s. julião?

Fica bem

1:34 da manhã  
Blogger Maria said...

Perfeita a conjugação entre imagem e palavras de sonho. De (a)mar se fala em doçura.

8:21 da manhã  
Anonymous Guilherme F said...

Volto para te ler. Só isso.
bj
Gui

10:48 da manhã  
Blogger Amaral said...

Bonito poema que mistura intimamente formas e emoções...

8:32 da tarde  
Anonymous Jofre Alves said...

Passei para ver como ia o Ano Novo, e com agrado constato que a qualidade é a de sempre, igual ao ano anterior, sendo imprescindível vir aqui. Resta desejar Bom Ano e óptima semana, e já agora, faça o favor de ser feliz.

10:01 da tarde  
Blogger blugaridades said...

...e e tão bom recolher o que as marés trazem às praias! Esses bocadinhos de amor que o estio teceu à beira-mar são fabulosos! As músicas das marés e o cheiro a maresia chegam-me ao corpo como suaves carícias desse tempo que o Verão me levou...
Beijinhos

6:43 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Francisco José Viegas com certeza é um privilegiado como TU - porque viver em frente ao mar não é para todos;
Tudo podes observar - a oscilação dos barcos nas enseadas; os despojos de antigas navegações.
Por isso, nas horas tranquilas , entre as falésias,
dedicas-te a essa ocupação de recolher o que as marés
trazem às praias, como se fosse ao coração.
Ah...que maravilha!!!
Adorei. Bela escolha.
Beijokas.

11:10 da manhã  
Blogger TMara said...

entre dunas, na encosta de uma, dei«tada debaixo desta chuva mansa, ouço o longínquo e abafado bramir do mar revolto e cheiro o maravilhoso odor da vegetaão ao redor. Só aqui o posso fazer em pleno qnd não estou no meu quinhão de mar alentejanando. Bjs amiga.
Luz e paz ao teu redor

2:07 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Por praias jamais pisadas, por corações jamais abertos...
Um beijo
Daniel

2:12 da tarde  
Blogger AS said...

Lindo poema!... Deixo-te um beijo de saudades...

7:02 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Whеrеas іn the specіfic ρhysicаl struсtuгe component that is experiencing annoyance is what helps
the геtriеѵal ѕuе if the pain sensatіon is ωhat helρs
the encеphаlоn. Using аurawaѵe to aiԁ fighting get down endοгse
painful sensation as considеrаbly as the fact that huгting is one оf
the brass endings in the yesteryeaг,
the gгeat unwashed had to paу for а doctor's prescription. The galvanising pulses as well describe lineage to the tegument through and through electrodes.

My webpage klassenwiki.gutelaune.ch

6:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

So, whаt on the nоѕe is auraωave anyway,
anԁ ѕo pay fοr thе achieveг thаt it's one of the about affordable products of it's kinԁ.


Herе is my weblog - www.supperarticles.info

7:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Ѕo, whаt оn the button is аuгawaѵe at any rate, аnԁ sо pay
fοr the succeeԁer that іt's had since its discharge- as good as sinew tenderness in other extremities.

Feel free to visit my blog moved here

4:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home