quinta-feira, novembro 30, 2006

Segredo


Noite suspensa (Carmo Pólvora)



Esta noite morri muitas vezes, à espera
de um sonho que viesse de repente
e às escuras dançasse com a minha alma
enquanto fosses tu a conduzir
o seu ritmo assombrado nas terras do corpo,
toda a espiral das horas que se erguessem
no poço dos sentidos. Quem és tu,
promessa imaginária que me ensina
a decifrar as intenções do vento
a música da chuva nas janelas
sob o frio de fevereiro? O amor
ofereceu-me o teu rosto absoluto,
projectou os teus olhos no meu céu
e segreda-me agora uma palavra:
o teu nome - essa última fala da última
estrela quase a morrer
pouco a pouco embebida no meu próprio sangue
e o meu sangue à procura do teu coração.


Fernando Pinto do Amaral

.

10 Comments:

Blogger Fernando Rozano said...

Oi Ana, lindo e contundente poema do Fernando. Me fez lembrar de uma canção do Milton Nascimento/Fernando Brant: "Morri a cda dia dos dias que eu vivi...". Belo e intenso. Beijos.

12:13 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Sorrir num sonho à noite, expressando desejos do coração...
Um beijo
Daniel

4:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Belo post!

4:41 da tarde  
Anonymous Jofre Alves said...

Visito com agrado esta tua página, e ainda aprendi um "segredo" com este poema. Bom fim-desemana para ti.

12:58 da manhã  
Blogger DE PROPOSITO said...

' Quem és tu,
promessa imaginária '
Uma interrogação ?!... A vida em sim é uma promessa, não imaginária, mas sim real, só que não sabemos quando é que a promessa está concluída (paga), pois a mesma é paga com a própria vida.
Fica bem.
Manuel

11:18 da manhã  
Blogger Velutha said...

Um poema lindo! Vale a pena ler, reler e sonhar.
Beijos

2:23 da tarde  
Blogger AS said...

Ana, tantas noites morremos tantas vezes! Mas haverá sempre uma estrela moribunda que nos devolverá a vida!...


Um terno beijo...

1:05 da tarde  
Blogger Amaral said...

Segredos e sonhos num poema iluminado.
Em cada verso, um segredo que descobrimos em nós, como se as palavras se tornassem fontes vivas, na memória daquilo que somos...

10:40 da tarde  
Blogger Amaral said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

10:40 da tarde  
Blogger marakoka said...

tantas noites..........

belo. adorei ler
jocas maradas

10:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home