sexta-feira, outubro 23, 2009

Interrogação

Foto de Sistermoon



Não sei se isto é amor. Procuro o teu olhar,
Se alguma dor me fere, em busca de um abrigo;
E apesar disso, crê! nunca pensei num lar
Onde fosses feliz , e eu feliz contigo.

Por ti nunca chorei nenhum ideal desfeito,
E nunca te escrevi nenhuns versos românticos,
Nem depois de acordar te procurei no leito
Como a esposa sensual do " Cântico dos Cânticos".

Se é amar-te não sei. Não sei se te idealizo,
A tua cor sadia, o teu sorriso terno...
Mas sinto-me sorrir de ver esse sorriso
Que me penetra bem, como este sol de inverno.

Passo contigo a tarde e sempre sem receio
Da luz crepuscular, que enerva, que provoca.
Eu não demoro o olhar na curva do teu seio
Nem me lembrei jamais de te beijar na boca.

Eu não sei se é amor. Será talvez começo .
Eu não sei que mudança a minha alma pressente.
Amor não sei se o é, mas sei que te estremeço,
Que adoecia talvez de te saber doente...






Camilo Pessanha
(in Clepsydra)



.

12 Comments:

Blogger Lmatta said...

lindo conjunto
beijos

5:30 da tarde  
Blogger Carlos Machado Acabado said...

Excelente, sensível e trágico Camilo Pessanha!...
Faz parte de uma grande família de estetas trágicos grandes e complexos demais para a própria Vida como Álvaro do Carvalhal, Mário Sá Carneiro ou Sebastião da Gama, entre diversos outros que foram os trovadores da "tanatopia" nacional, os "utopistas adoradores da Morte", tragicamente naufragados num País que os não soube definitivamente entender!...
Belíssimo poema e magnífica foto!...

6:22 da tarde  
Blogger ADiniz said...

BOM DIA

ESTE POEMA ME TOCOU PROFUNDAMENTE,
EMOCIONOU-ME, PALAVRAS VIVIDAS, SENTIDAS.
VC FAZ SEMPRE GRANDES ESCOLHAS.

BJINHOS E UM BOM FINAL DE SEMANA A VC

11:13 da manhã  
Blogger Maria said...

'Não sei se é amor'... ...'mas sei que te estremeço'...
É amor, sim!
Belo poema, Ana.
Obrigada

Beijo

3:29 da manhã  
Blogger Spiritual said...

No final das contas... é sempre tudo amor. Costumo chamar amor a qualquer sentimento positivo que tenha acerca das pessoas, mesmo à amizade.

2:13 da tarde  
Blogger Maripa said...

É um amor terno e doce...

"...sei que te estremeço/Que adoecia talvez de te saber doente..."

Há tantas formas de amar!

Beijo,Ana.E o meu carinho.

8:57 da tarde  
Blogger maria m. said...

belo poema do "nosso" poeta simbolista Camilo Pessanha... como que um sobressalto de alma, será talvez amor.

beijos, Ana

11:53 da manhã  
Blogger Baby said...

Amor ou não, quem não gostaria de ser assim estremecida?

Parabéns pelo teu requintado bom gosto, a que,

Beijinhhos.

10:51 da tarde  
Blogger Isabela said...

Seu Blog é lindo!

6:30 da manhã  
Blogger Spectrum said...

Querida amiga, já muitas vezes te tenho dito que as nossas escolhas nos definem. Camilo Pessanha é mais um dos grandes poetas esquecidos.
Um beijinho.

5:26 da tarde  
Blogger hfm said...

Fizeste-me ter vontade de logo à noite retirar a Clepsidra do seu lugar na estante e relê-la. Belíssimo!

7:32 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
boa escolha,
,
estremeci,
ao sentir o amor . . .
,
brisas serenas,
,
*

12:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home