quarta-feira, novembro 04, 2009

O mar é a tua voz





Ouço neste dia o som líquido das tuas mãos
o secreto coração escuro da memória
a claridade quando invade a sua rosa
as asas abertas para a imensidão
procuro o luminoso mar eterno do olhar
o mar canta o sal na voz da tua pele
a solidão das lágrimas que amordaçam o vento
os teus olhos fecham-se com o meu sono
deixa-me navegar no teu nome e dormir





Pedro Crisóstomo
(in O Mar é a Tua Voz)




O mar da Ericeira a inspirar o poema e a foto. Som líquido a derramar-se na solidão das palavras. A Encosta do Mar amordaçando as memórias.

.

14 Comments:

Blogger Chris said...

Profundo esse som líquido das tuas mãos...
Um bejo
Chris

6:18 da tarde  
Blogger Carlos Machado Acabado said...

Excelente texto!
Belas imagens!
Que agradável descoberta, a deste Poeta de que nada, até hoje, conhecia!...

7:40 da tarde  
Blogger Carlos Machado Acabado said...

Para quando nova visita ao "Quisto"?...
Ele está (e continua) pacientemente à espera...

7:41 da tarde  
Blogger Maria said...

E quando é olhar e mãos e corpo que nos abraça... porque o mar é isto tudo e tanto mais.
Belo poema. Bonita a fotografia.

Beijinho, Ana
(sem amordaçar memórias.
lanço-as ao mar...)

8:22 da tarde  
Blogger hfm said...

Belíssimo e o mar da Ericeira a agasalhá-lo.

9:33 da manhã  
Blogger Sylvia Beirute said...

boa escolha;)

12:54 da tarde  
Blogger maria m. said...

busca de um olhar, um corpo, um afecto; e o mar a ser palavra desse dizer. belo!

beijo, Ana.

5:09 da tarde  
Blogger Brancamar said...

Emocionantemente lindo este mar aqui retratado, o da fotografia e o dos afectos.

Gostei particularmente do último verso"...deixa-me navegar no teu nome e dormir"

E parto a sonhar...

Beijinhos

5:28 da tarde  
Blogger Papagaio Mudo said...

tu es autoridade em "mar ein, moça?
amar, ah mar, há mar, ah maria...

abç

Gustavo

6:45 da tarde  
Blogger Isamar said...

O mar e a poesia! Só mesmo eles para me desentorpecerem a alma que há muito emudeceu.

Bem-hajas!

Beijinhos

5:55 da tarde  
Blogger tulipa said...

Ainda bem que há alturas em que a vida nos proporciona fazer uma pausa para a avaliarmos.
São esses momentos que nos permitem compreender melhor aquilo que construimos, o que fomos, o que somos, o que queremos ser.
Muito melhor com o Mar como inspiração!!!

Beijos desta tua amiga.

10:51 da tarde  
Blogger ~pi said...

lembrei-me:

calor

colo.de.areia.mar

és,,,






~

4:43 da tarde  
Blogger Spiritual said...

Acho... que é uma meditação... :)

8:53 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
e na Ericeira
ecoa a voz do mar
que canta,
o sal na voz da pele,
espraiada, pela areia .
,
um mar de amizade, deixo,
,
*

10:01 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home