segunda-feira, janeiro 11, 2010

"Bright Star"

.
O novo e extraordinário filme de Jane Campion conta a história de amor do poeta John Keats.

" Retrato assombroso de um romance moderno antes do seu tempo, "Estrela Cintilante" é um poema em cinema. E o primeiro grande filme de 2010. "

Jorge Mourinha
in Ípsilon ( Público)

.

10 Comments:

Blogger Ireth said...

Fui ver ontem, lindo.

10:58 da tarde  
Blogger Maria said...

Ainda não vi. Mas irei ver...

Um beijo, Ana

2:46 da manhã  
Blogger hfm said...

Aguçaste-me o apetite!

11:10 da manhã  
Blogger Maripa said...

Está numa sala de cinema, aqui perto de casa.

Espero ir ver...Deve ser lindo!

Beijo,Ana. E o meu carinho.

11:22 da tarde  
Blogger Vento said...

Seguirei o teu conselho...

7:10 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
fica registado.
obrigado pela dica . . .
,
conchinhas, ficam,
,
*

7:31 da tarde  
Blogger A.S. said...

Querida Ana...

Deste-me uma excelente sugestão para o fim de semana!!!

Beijo grande...
AL

10:27 da tarde  
Blogger Manuela Freitas said...

É o próximo, cara amiga, depois de O Profeta e de Andando, estou desejosa de ir ver este, lembro O Piano, de que tanto gostei.
Bjs
Manuela

12:48 da manhã  
Blogger Carlos Machado Acabado said...

Cá estou eu, Ana, "No Teu Cinema", respondendo ao teu amável convite...
Eu também sou "cliente" da Campion mas ainda não vi este filme de que tu simpaticamente nos ofereces aqui um "cheirinho"...
Gostei muito d' "O Piano" [que era uma espécie de apólogo muito bem construído sobre o despertar da sexualidade] e francamente menos de "In The Cut" onde ela estava francamente fora do seu elemento e do seu registo próprio que assenta muito mais na sugestão, no que os ingleses e norte-americanos chamam o "innuendo" do que no óbvio que ela explora extremamente mal [e, de uma forma, aliás, muito contraditória] neste último.
Voltei a gostar num outro filme cujo nome não me ocorre [como te disse e pelas razões que te disse, tenho ultimamente estado relativamente longe da minha biblioteca e dos meus filmes] mas onde ela conta a história de uma escritora, australiana, se bem me recordo.
Acho que com a Campion se passsa o que se passou com muitos outros autores de qualidade que fazem "os seus filmes" e são, num dasdo momento das respectivas carreiras, tentado por um cinema industrial que não será, talvez, exactamente o seu...
Tenho, pouis, de seguir o teu amável convite e vere mesmo este "Bright Star" para depois podermos conversar sobre ele!

Um beijinho Amigo do Carlos!

[O "Quisto" está sempre ao teu dispor, não te esqueças!...]

11:55 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

.

. lá estarei . garantida.mente .

. grat.íssimo .

. um beijo meu .

. um bom fim de semana .

. sempre,,, .

.

. paulo .

.

3:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home