sábado, novembro 28, 2009

Então sento-me à tua mesa

Apparition of the face of Aphrodite (Salvador Dalí)


Então sento-me à tua mesa. Porque é de ti
que me vem o fogo.
Não há gesto ou verdade onde não dormissem
tua sombra e loucura,
não há vindima ou água
em que não estivesses pousando o silêncio criador.
Digo : olha, é o mar e a ilha dos mitos
originais.
Tu dás-me a tua mesa, descerras na vastidão da terra
a carne transcendente. E em ti
principiam o mar e o mundo.

Minha memória perde em sua espuma
o sinal e a vinha.
Plantas, bichos, águas cresceram como religião
sobre a vida - e eu nisso demorei
meu frágil instante. Porém,
teu sinal de fogo e leite repõe a força
maternal, e tudo circula entre teu sopro
e teu amor. As coisas nascem de ti
como as luas nascem dos campos fecundos,
os instantes começam da tua oferenda
como as guitarras tiram seu início da música nocturna.




Herberto Helder
(excerto do poema O amor em visita)

.



14 Comments:

Blogger Maria said...

Senta-te à minha mesa. Porque hoje é dia de celebrar a amizade. Em frente terás o mar, onde podes perder o teu olhar...
Senta-te à minha mesa. E brinda comigo o dia dos dias restantes. Com um bom vinho tinto e a poesia de Herberto Helder...

Beijinho, Ana

3:11 da manhã  
Blogger ADiniz said...

O banquete da essência mais sutil
onde as línguas que tocam
na busca do paladar
silencia o verbo
e deixam-se apanhar
por um só sentido
êxtase

Que lindo poema e acompanhado por este maravilho pintor, Grande Dali, isso que é uma comensuração.
Bjinhos Ana e um ótimo final de semana a vc.

9:58 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Seria uma honra ter amigos especiais sentados à minha mesa...
Um beijo
Daniel

4:18 da tarde  
Blogger Lmatta said...

Lindo conjunto
beijos

6:50 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

. de Herberto Helder . a subtileza de uma palavra maior .

. na mais ampla visão de um estado de alma .

. perene .

. um beijo meu, Ana .

. um bom Domingo .




. paulo .

10:07 da manhã  
Blogger Brancamar said...

Um poema de vida e amor dito como só Helberto Helder sabe, acompanhado de outro génio das artes - Salvador Dali.
Tudo perfeito neste post.
"...tudo circula entre teu sopro e teu amor. As coisas nascem de ti..."
Uma visita alucinante aos mais amplos sentires.

Beijinhos para ti.
Branca

12:02 da tarde  
Blogger hfm said...

Sempre esta mesa destas palavras.

1:34 da tarde  
Blogger ~pi said...

rosto [ cortado

em pedra

viva,





~

5:32 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Quem escolhe Herberto Helder

acerta sempre...

Bjs

10:57 da tarde  
Blogger maria manuel said...

a força, o amor maternal, essa mesa, essa silêncio, essa mar, onde tudo nasce para nós. fabuloso poema de Herberto Helder! fabulosa escolha, Ana!

um beijo.

12:51 da tarde  
Blogger ADiniz said...

Hj é Dia
um bom dia.
sob lua cheia
um grande abraço em vc.
kokohmahá

1:24 da tarde  
Blogger A.S. said...

Venho deixar-te um terno e doce beijo... de SAUDADES!!!

6:01 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
no prisma de Dali,
Afrodite
visita o amor,
Adónis feito,
no conivente Herberto Herder . . .
,
brisas serenas, d3ixo,
,
*

2:58 da tarde  
Blogger Heloisa said...

"Digo : olha, é o mar e a ilha dos mitos
originais.
Tu dás-me a tua mesa, descerras na vastidão da terra
a carne transcendente. E em ti
principiam o mar e o mundo."
*******************************
********************************MARAVILHOSO, COMO O SAO TODAS AS SUAS ESCOLHAS*****!!!

BEIJINHOS.

Heloisa

7:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home