sábado, março 12, 2011

Devias estar aqui

Foto de Ricky Siegers



Devias estar aqui rente aos meus lábios
para dividir contigo esta amargura
dos meus dias partidos um a um.

- Eu vi a terra limpa no teu rosto,
Só no teu rosto e nunca em mais nenhum.



Eugénio de Andrade

9 Comments:

Blogger DE-PROPOSITO said...

para dividir contigo esta amargura
----------
_E será que devemos dividir a nossa amargura (as nossas amarguras) com os outros?!...
---------
Que a felicidade ande por aí.
Manuel

7:32 da tarde  
Blogger Cata- Vento said...

É sempre bom ter com quem dividir a amargura, aliviar o tumulto que nos toma a alma.

Um belo poema de um poeta que está entre os que mais aprecio.

Bem-hajas, Encosta linda!

Beijinhos

11:22 da tarde  
Blogger tecas said...

«Eu vi a terra limpa no teu rosto,
Só no teu rosto e nunca em mais nenhum». Em mais nenhum rosto Eugénio de Andrade viu a terra limpa. Tristeza e amargura ...sentimento de perda.
Quando ele faleceu, foi o poema que li na noite do velório.
Grande poeta.
Um bem haja, Ana por o publicar´, com uma imagem linda.
Bjito e uma flor

11:34 da tarde  
Blogger Maria said...

Ainda estou com o peito cheio de poesia. E parece que vou continuar...

Foi bom rever-te. Pena que o tempo foi curto...

Um beijo, Ana.

12:52 da manhã  
Blogger manuela baptista said...

quem escolhe poemas assim

devia estar sempre aqui!

obrigada, Ana
pelo seu comentário

um abraço

manuela

4:12 da tarde  
Blogger Álvaro Lins said...

Escolha mais que excelente.
Do mesmo autor "...É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas...."

11:31 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
A simplicidade e beleza do Eugénio de Andrade.
Beijo
Daniel

6:38 da tarde  
Blogger Cristina Fernandes said...

Um dos meus poetas preferidos...
Bjs
Chris

12:23 da manhã  
Blogger BlueShell said...

tantas vezes precisamos de alguém...e esse alguém não está or perto...então a nossa dor é maior, porque sentimos a angústia e o peso do abandono também....

8:24 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home