quinta-feira, março 15, 2012

O amor aumenta

Salvador Dali



o amor aumenta com o amarelecimento do linho
maior quietude rodeia agora a casa lunar
soçobram do fundo dos espelhos submersos os instrumentos
de muitos e delicados trabalhos
repousam sobre a erva para sempre

só o desejo dalguma eternidade despertaria o terno arado
mas a vida tropeça nos húmidos grãos de terra
as selvagens flores afligir-te-ão o olhar
por isso inventaremos o necessário ciclo do outono

a noite dilata a viagem
pressentimos a nervosa luta dos corpos contra a velhice
mas nada há a fazer
resta-nos descer com as raízes do castanheiro
até onde se ramificam as primeiras águas e se refaz o desejo

as bocas erguem-se
procuram um rápido beijo no éter da casa



Al Berto
(in Trabalhos do Olhar)

4 Comments:

Blogger A.S. said...

Saudades da tua Encosta querida Dina!...

Beijos!
AL

2:53 da tarde  
Blogger musicaquatica said...

um beijo etéreo à encosta

isabel :)

11:46 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
Al Berto, sempre.
um dos meus escolhidos,
no dia mundial da poesia !
parabens !
,
vai até onde ninguém te possa falar ou reconhecer - vai por esse campo de crateras extintas - vai por essa porta de água tão vasta quanto a noite !
in-al Berto,
,
conchinhas, muitas !
*

3:12 da tarde  
Blogger Baby said...

Deste belo poema fica-nos um sentimento de impotência, abertamente expresso no verso "mas nada há a fazer"...mas nem sempre a vida nos mostra o seu lado lunar.

Beijos.

9:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home