sexta-feira, março 04, 2005

Linha de rumo

.
Quem não me deu Amor, não me deu nada.
Encontro-me parado...
Olho em meu redor e vejo inacabado
O meu mundo melhor.

Tanto tempo perdido...
Com que saudade o lembro e o bendigo:
Campo de flores
E silvas...

Fonte da vida fui. Medito. Ordeno.
Penso o futuro a haver.
E sigo deslumbrado o pensamento
Que se descobre.

Quem não me deu Amor, não me deu nada.
Desterrado,
Desterrado prossigo.
E sonho-me , sem Pátria e sem Amigos,
Adrede.


Ruy Cinatti

2 Comments:

Blogger AS said...

Ana, lindo este poema. Mas vou ler de outra maneira: "Quem dá o amor, dá tudo o que tem!"

Um beijo e bom fim de semana

1:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não conheço o poeta e gostei do poema.
No meu humilde parecer, todos somos passageiros do amor. Um dia, sem sabermos muito bem como, encontra-se um porto de inverno feliz e preso à sua cintura ficaremos seguros o tempo que falta viver.

Beijinhos
vento

2:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home