segunda-feira, julho 11, 2005

Da verdade do amor


Foto de Baciar


Da verdade do amor se meditam
relatos de viagens confissões
e sempre excede a vida
esse segredo que tanto desdém
guarda de ser dito

pouco importa em quantas derrotas
te lançou
as dores os naufrágios escondidos
com eles aprendeste a navegação
dos oceanos gelados

não se deve explicar demasiado cedo
atrás das coisas
o seu brilho cresce
sem rumor



José Tolentino de Mendonça

5 Comments:

Blogger AS said...

Ana, o amor é sempre uma viagem...

Um bonito poema!

Beijo

8:50 da manhã  
Blogger Dilbert said...

Olá Ana,
Andava a deambular pelos Blogs e encontrei este teu.
Pelo que li até agora simplesmente adorei... lindas fotos com belos textos a acompanhar.
Decididamente vou voltar mais vezes pois para além de ter de recuperar todo o histórico que ainda me falta, há ainda o que estará para vir...
Bjs

2:33 da tarde  
Blogger Vênus said...

Minha querida
Hoje venho especialmente agradecer tuas visitas...Quando não vens sinto tua falta...
Sobre o meu post (Buda) nem sempre o que sinto deixo transparecer...Uma tempestade nem sempre é compreendida...
Beijos e boa semana!

2:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Pelo mar da tua mão, um barco de papel e palavras poetas não navega em vão... encontra sempre um carinho... no caminho.

beijinhos
vento

2:48 da tarde  
Blogger Orfeu said...

O Amor e a sua imensidão, onde toca torna prazer em dor, sofrimento em Paixão. O que fica, recordações em nós, que nos fazem caminhar para o amanhã...

10:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home