quinta-feira, julho 07, 2005

Gaivotas na Ericeira


Foto de Lobo Marinho aqui


Quando se sonha
e pelo sonho se voa,
quando as asas das gaivotas
são navios que cruzam oceanos,
quando no azul do mar
se esconde o sol e a luz da lua,
nada mais importa.
Só o sonho transforma tudo,
até o silêncio e a dor
do cerrar de uma porta.

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Uma onda rompe o pensamento. Um olhar contempla o firmamento… é assim que te pergunta o mar e te interroga o vento…
Poesia

Beijinhos
vento

12:46 da manhã  
Blogger Vênus said...

Bela imagem e poema..Fico em silêncio hoje...Admirando!
Bjs

1:01 da tarde  
Blogger AS said...

Ana... ainda que cerre uma porta, há sempre uma janela aberta, onde as gaivotas poisam no beiral...

Um beijo

8:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

elas vao e vem assim fica as gaivotas no silencio a pousar em um areal.

8:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home