domingo, julho 03, 2005

Não adormeças


Foto de Margarida Delgado aqui


Não adormeças: o vento ainda no meu quarto
e a luz é fraca e treme e eu tenho medo
das sombras que desfilam pelas paredes como fantasmas
da casa e de tudo aquilo com que sonhes.

Não adormeças já. Diz-me outra vez do rio que palpitava
no coração da aldeia onde nasceste, da roupa que vinha
a cheirar a sonho e a musgo e ao trevo que nunca foi
de quatro folhas; e das ervas mais húmidas e chãs
com que em casa se cozinhavam perfumes que ainda hoje
te mordem os gestos e as palavras.

O meu corpo gela à míngua dos teus dedos, o sol vai
demorar-se a regressar. Há tempo para uma história
que eu não saiba e eu juro que, se não adormeceres
serei tão leve que não hei-de pesar-te nunca na memória,
como na minha pesará para sempre a pedra do teu rosto
se agora apenas me olhares de longe e adormeceres.


Maria do Rosário Pedreira

12 Comments:

Blogger AS said...

Que lindo poema Ana!...

A poesia da Maria do Rosário Pedreira é belissima!...

Um beijo

10:25 da manhã  
Anonymous Storm Of Emotions said...

Belíssimo poema que me fez sentir saudades...Leve...Sublime!
Beijos e ótima semana!;)

12:27 da tarde  
Blogger TMara said...

sóposso dizer k é um belo texto. Já senti aquilo de k nele falas. Já houve noiteas em k fz esse apelo....Bj grande e bom resto de semana

3:22 da tarde  
Blogger TMara said...

sóposso dizer k é um belo texto. Já senti aquilo de k nele falas. Já houve noites em k fz esse apelo....Bj grande e bom resto de semana

3:22 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Por vezes há encontros casuais que nos agarram e nos fazem acreditar e querer na mesma ideia durante o tempo que nos segura... mas a memória permanece... viva.

Belíssimo poema.
Beijinhos
vento

3:35 da tarde  
Anonymous zezinho said...

Acima de tudo saúdo o ter-te ouvido. Dás-me paz.
Beijos minha querida amiga

6:40 da tarde  
Blogger lique said...

Belíssima, a poesia de Maria de Rosário Pedreira. Este é um poema de uma ternura tocante. Beijinhos, Ana.

9:48 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

"Nao adormecas."
"Nao adormecas ja'."
*************************
POEMA MUITO BELO!
Mais *UM* que nao conhecia e GRACAS A SI*, passei a conhecer!
OBRIGADA AMIGA!
OBRIGADA PELA SUA SENSIBILIDADE PLENA DE "ESTETICA"!!!Mas.. especialmente, MUITO OBRIGADA POR SER MINHA AMIGA! E... Faco minhas as PALAVRAS DO *ZEZINHO*_OUVI-LA OU LE-LA... TRANSMITE-ME UMA DOCE SERENIDADE!PAZ! E...MUITO IMPORTANTE:*ESPERANCA*!!!!!!!!!
QUE OS *CEUS* ILUMINEM O SEU CAMINHO_O SEU CORACAO JA' ESTA' ILUMINADO!
XI-CORACAO, APERTADO!
Sua AMIGA,
Heloisa.
*********************

11:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Lindo por demais.
É assim uma sensação que temos às vezes e nem sempre registramos com poesia.
Beijo.

Pedro Camargos

12:16 da manhã  
Anonymous rOsI said...

Há muito tempo não via um apanhado tão lindo tanto de falas quanto de imagens.

1:53 da tarde  
Blogger Duarte said...

Olá Ana,
Existem memórias que permanecerão sempre vivas em nós. Tal como no poema, não irão adormecer :)
Um beijo

9:25 da tarde  
Blogger Orfeu said...

Não adormeças já, um poema lindíssimo…É o que tento fazer por vezes, não adormecer. Um beijo.

11:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home