domingo, julho 10, 2005

Regresso por outro rio


Foto de autor desconhecido



se regressar, será aos teus olhos que regresso.
os acasos ardem nos lábios dos amieiros que na margem do rio
aguardam que regresse. a isso regresso, buscando
coincidências e nomes, razões. afasto-me
provavelmente de ti, embora secretamente.

é por isso estranha a forma como os acasos ardem
para sempre. a outro rio e sob outras sombras
regresso, devagar para não ferir o que antes amei
e por quem morri muitas vezes. agora de novo morro

e por outro rio regresso até ao lugar onde elas, as aves,
nascem para não desaparecerem. e isso é como permanecer.


Francisco José Viegas

5 Comments:

Blogger Orfeu said...

Que bonita escolha. Triste...mas bela. O regresso permanente ao inicio, ao que não podemos fugir mesmo que queiramos...inevitável a dor do regresso, a verdade da certeza. Para mim "é assim o regressar"...
Muito belo, sereno, puro...
Um Beijo…

1:07 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Sempre belas as tuas escolhas.
Um beijo
Daniel

12:32 da tarde  
Blogger Vênus said...

Olá Ana,
Tenho este poema em meus arquivos como um dos meus prediletos...Belíssima escolha!
Bjs!:)

12:49 da tarde  
Blogger lique said...

Quantas vezes temos a certeza do regresso, mesmo que tudo em nós o negue! Mesmo que secretamente nos afastemos.
Um belo poema. beijinhos, Ana.

5:02 da tarde  
Blogger AS said...

Querida Ana... quantas vezes o regresso não se faz pelo mesmo caminho!...

Bonito poema... um beijo

6:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home