sexta-feira, julho 08, 2005

Sem palavras nem cores



















Hoje, dei comigo a pensar que não devia ter escrito o post de ontem.
Não, não é verdade que o sonho consiga transformar tudo. A dor e o sofrimento persistem, a injustiça de sacrificar inocentes mais uma vez se fez mostrar, a tristeza e a angústia continuam vivas.
Fico em silêncio, deixei de ver as gaivotas e de ouvir o rumor do mar.
Perdi as palavras e as cores.

6 Comments:

Blogger AS said...

Ana... a intolerância, a violência, o sacrificio de inocentes é revoltante!... mas não nos deve retirar a capacidade de sonhar!...

Um beijo

8:47 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ana,

Concordo com o frog... não devemos deixar de sonhar diante a cobardia de mentes maquiavélicas.
Ontem o mundo voltou a ficar triste, mas o teu anterior post não deixou de fazer sentido. Sonhar é preciso!

Beijinhos,
Rute G.

11:08 da manhã  
Blogger Vênus said...

Passei para deixar um beijo e bom dia...sem deixar de sonhar, sem deixar de acreditar...
Bjs

11:27 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Um mar de lagrimas naufraga
Nas nossas consciências
Um mar de sombras agoniza
Em palavras de dor

Choremos os mortos
Façamos um altar nos nosso corações
Porque virão tempos piores

O meu pai dizia:
“Piora muito antes de melhorar”

Também é terror, muitos, (cada vez mais) perderem o emprego sem razão, apenas porque uns, muito poucos, descobrem que ali ao lado podem ganhar e explorar muito mais, outros, muitos outros.
Também é terror e sem cor absolutamente nenhuma idiotas armados em democratas alimentar ódio entre profissões, fazendo acreditar que assim vai haver igualdade. Grande mentira.
Também é horrível assistir ao rectângulo, a encher-se de fumo e palavras negras a crepitarem de fogo.
Também é triste ver políticos que apenas sonham com bolsos de casaco gigantes para encherem de lucro, prestando vassalagem a pseudo importantes donos do mundo, que não passam de democratas farsantes, idiotas com dinheiro. Muito dinheiro.
Também é terror saber que morre diariamente no mundo mais gente com fome do que com SIDA e tuberculose.
Afinal o que importa são os mercados de valores, os concursos, as piadas... Afinal quem existe, são estrelas que não existem...
Também é triste perder a esperança, a confiança, a poesia, o desejo de paz...
Não! Isso é que Não.
Haja Esperança!

vento

3:30 da tarde  
Blogger heloisa said...

Tambem eu, AMIGA QUERIDA!
Tambem eu!
Beijo.
Heloisa.
***************

12:28 da manhã  
Blogger Duarte Temtem said...

Consegue ser revoltante e desolador este mundo em que vivemos.
Cada vez que pensares assim, lembra-te da menina etíope que há 20 anos foi encontrada às beiras da morte e há dias subiu ao palco num dos concertos do Live 8.
E aí o mundo até faz algum sentido.
Bjs

10:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home