terça-feira, agosto 09, 2005

Confidência


Foto de Ernst Schutz aqui


Diz o meu nome
pronuncia-o
como se as sílabas te queimassem os lábios
sopra-o com a suavidade
de uma confidência
para que o escuro apeteça
para que se desatem os teus cabelos
para que aconteça

Porque eu cresço para ti
sou eu dentro de ti
que bebe a última gota
e te conduzo a um lugar
sem tempo nem contorno

Porque apenas para os teus olhos
sou gesto e cor
e dentro de ti
me recolho ferido
exausto dos combates
em que a mim próprio me venci

Porque a minha mão infatigável
procura o interior e o avesso
da aparência
porque o tempo em que vivo
morre de ser ontem
e é urgente inventar
outra maneira de navegar
outro rumo outro pulsar
para dar esperança aos portos
que aguardam pensativos

No húmido centro da noite
diz o meu nome
como se eu te fosse estranho
como se fosse intruso
para que eu mesmo me desconheça
e me sobressalte
quando suavemente
pronunciares o meu nome.


Mia Couto

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

É sublime...sorri..
um beijo
maria

7:11 da manhã  
Blogger TMara said...

curiosamente nunca tinha lido a poesia de mia Couto, só prosa. maravilha. Bjs e ;)

8:32 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

lindo este poema de mia couto.passei por aqui através de outro blog e aproveito para convida-la a visitar o meu cantinho recem nascido e a precisar de criticas que podem vir da encosta do mar.jinhos
www.amcosta.blogs.sapo.pt

9:46 da manhã  
Blogger Dilbert said...

Bem... Ana... lindo... lindo...
Acho que estou a ver um sorrisinho sim :)
Beijokinhas para ti e inté já...

5:09 da tarde  
Blogger Orfeu said...

A beleza do pronuncio do nosso nome por quem Amamos, o que sentimos, a importância de nos elevarem ao céu.
A escolha...muito bonita.

6:39 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
É tão importante ouvir o nosso nome numa boca desejada...
Um beijo
Daniel

7:14 da tarde  
Blogger AS said...

Mia Couto... lindissimo este poema!
Para ler e sentir...

Um beijo

7:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home