quinta-feira, agosto 04, 2005

Eu sei, não te conheço, mas existes...


Foto da net (autor desconhecido)


Há algum tempo que aqui não venho. A tristeza afundou as letras, diluiu as palavras, fez-me esquecer a cor da esperança.
Regresso hoje para agradecer a todos os que, entretanto me visitaram, e deixaram comentários e apoio. Tentarei agradecer pessoalmente em cada um dos blogs.
No entanto, e porque o Desconhecido me deixou um poema de que muito gostei, apesar de também ser para mim desconhecido, aqui o deixo. Afinal é mesmo assim... na vida, como na net, não nos conhecemos, mas existimos... e conhecemos através das palavras a sensibilidade e a ternura de quem escreve ou escolhe poemas!




Eu sei, não te conheço, mas existes,
por isso os deuses não existem,
a solidão existe
e apenas me dói a tua ausência
como uma fogueira
ou um grito.

Não me perguntes como mas ainda me
lembro
quando no outono cresceram no teu peito
duas alegres laranjas que eu apertei nas
minhas mão
e perfumaram depois a minha boca.

Eu sei, não digas, deixa-me inventar-te,
não é um sonho, juro são apenas as
minhas mãos
sobre a tua nudez
como uma sombra no deserto.
É apenas este rio que me percorre há
muito e desagua em ti.
Porque tu és o mar que acolhe os meus
destroços.
É apenas uma tristeza inadiável, uma
outra maneira de habitares
em todas as palavras do meu canto.

Tenho construído o teu nome com todas
as coisas,
tenho feito amor de muitas maneiras,
docemente,
lentamente,
desesperadamente
à tua procura, sempre à tua procura
até me dar conta que estás em mim,
que em mim devo procurar-te,
e tu apenas existes porque eu existo
e eu não estou só contigo
mas é contigo que eu quero ficar só
porque é a ti,
a ti que eu amo.


Joaquim Pessoa

13 Comments:

Blogger jacky said...

Para mim, que a amizade se crie na rua ou na net é indiferente, porque o importante são os laços que se criam e passarmos a querer bem a alguém.
Dá tempo ao tempo, Ana.
Um beijinho

12:45 da manhã  
Blogger Vênus said...

Ana,
Realmente um belo poema..Fique bem...Deixo um abraço apertado!
Beijos

4:08 da manhã  
Blogger AS said...

Bonito... deixo-te um beijo e um sorriso

10:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ana,

O poema que escolheste é lindíssimo. Aliás, demonstras sempre uma grande sensibilidade na escolha dos teus poemas.
Apesar de não ter ainda um blog (há imenso tempo que me andam a convencer para ter um e eu ainda não me convenci :), gosto muito de percorrer a blogsfera e verificar que neste meio, aparentemente tão impessoal, se consegue estabelecer uma partilha de afectos e sentimentos tão singelos e profundos.
Espero que reencontres depressa o caminho da cor e da luz na tua vida.

Beijinhos,
Rute

11:00 da manhã  
Blogger in_finito said...

Gosto de Joaquim Pesssoa. O poema é lindo. E as amizades criam-se em todo o lado. Assim sejam verdadeiras.

12:50 da tarde  
Blogger Duarte said...

O poema é de uma intensidade avassaladora. Os afectos fluem entre nós, sejam por que via forem, o importante é serem genuínos. Vou ler e reler este poema. É um hino à paixão.
A cor da esperança é aquela que após as trevas, irrompe inesperadamente do horizonte e proporciona um espectáculo grandioso, um reencontro com a vida. Vive positivamente esses momentos menos bons. Por muito dolorosos que sejam. É com eles que se opera a transformação requerida para crescermos interiormente e seguirmos de forma resoluta o trilho certo da vida.
Beijinhos

3:16 da tarde  
Blogger TMara said...

deixo-te aqui a minha ternura. Bjs

8:15 da tarde  
Blogger romero said...

Sabes de una cosa :) me quede ahora sin palabras...muy bueno que escribiste.
Besito

8:55 da tarde  
Blogger Dilbert said...

Estiveste ausente mas voltaste com um Post muito lindo e ternurento... no entanto um pouco triste... espero que encontres o que procuras... e ponhas um sorrisinho no teu palminho de cara :)
Beijokinhas e inté já...

11:21 da tarde  
Blogger Kalinka said...

OLÁ ANA:
Por acaso dei-te uma resposta no meu blog....pouco mais tenho a dizer.
Se por lá pasares verás....
São salutares todas as amizades que se criam numa base de apoio, carinho, sinceridade e abertura de alma; espero k a nossa seja asim um dia, no futuro.
Acompanho-te de longe, mas muito perto no sofrimento deste momento.
Beijokas. Conta comigo sempre k precises.

12:16 da manhã  
Blogger Cristina said...

Olá Ana,

Espero que te estejas a sentir melhor, a vida por vezes nos trás supresas e ficamos assim, faz parte do nosso viver....

E concordo contigo, além de não nos conhecermos pessoalmente através dos blogs, começamos a sentir um certo afecto pelas pessoas que aqui andam, pelas palavras que lemos, e sentimos...

Um beijinhuuu

6:09 da manhã  
Blogger sotavento said...

As letras, às vezes, mergulham mas voltam a boiar... e nós com elas!... :)

2:27 da tarde  
Blogger Orfeu said...

Perigoso o Mundo em que vivemos, o Mundo real...a vida, o virtual...aqui. Quando se tocam, misturam-se… pode ter tanto de maravilhoso quanto de perigoso. Temos como em todo lado, observar, julgar...retirar o mau, abraçar o bom...a Amizade, Cumplicidade e Quem sabe o Amor...
O Poema...belo.
Um beijo

7:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home