quinta-feira, dezembro 01, 2005

Permanecer


Foto de João Coutinho



Ser o fumo do teu cigarro
penetrar na tua boca
permanecer em ti como um travo.

14 Comments:

Blogger Su said...

amo essa foto
e infelizmente fumo...fumooo
gostei de ler
jocas maradas

11:41 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

não fumo mas já fumei e ao ler o teu poema voltei a fumar, está com todo o sentido e está fantástico.
um jinho

3:18 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Agarrada à hemoglobina, até fazeres parte de cada célula...
(também deixei de fumar :))
Um beijo
Daniel

5:14 da tarde  
Blogger AS said...

Querida Ana... a minha incompatibilidade com o fumo ia tendo consequências bem mais graves... claro que deixei de fumar, mas revejo-me na "passa" do teu poema...

Beijos

11:56 da tarde  
Blogger Lmatta said...

Olá
Gostei do teu fumo "poema"
E fumo e nao devia.
beijinhos grandes

12:24 da manhã  
Blogger Cristina said...

A foto está muito linda, além de ser um perigo, mas também fumo.
Tem um lindo fim de semana, e desculpa a minha ausência
Beijinhuu

12:25 da manhã  
Blogger A .Carlos said...

Lindissima a tua "encosta"
adorei
Bjs
:)

12:49 da manhã  
Blogger lique said...

A foto é linda e as tuas palavras belas e extremamente sugestivas. E... eu não fumo! :)
Beijinhos

10:28 da manhã  
Blogger Eremita Baptista said...

está bem conjugado: imagem/texto...bjs

12:03 da tarde  
Blogger Ana said...

Obrigada pelos vossos comentários.
Não fumo e reconheço os graves malefícios do tabaco.
O fumo, aqui, é apenas o desejo de uma fusão íntima, quase uma assimilação celular, como referiu o Daniel.
Beijinhos a todos.

3:07 da tarde  
Blogger Anakin said...

Uma nova viagem, que espero te agrade,porque me conheces...
Beijo

5:45 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

LINDO!!!!!!!
_POUCAS PALAVRAS, MUITO O SENTIDO!
Beijinho.
(tambem nao fumo!_Gostei da MSG do Daniel!)
Heloisa (com SAUDADES!)
************************

7:16 da tarde  
Blogger Duarte Temtem said...

Querida Ana

A tua encosta é essencialmente povoada por trabalhos de outrem. Cada vez que vejo um post sem indicação do autor, parto do princípio que é da tua autoria.
Mas são tao esporádicos...

Está bonita a frase, queremos mais! :)

Bjs

6:31 da tarde  
Anonymous Zeak said...

Nem este mar escapa ás redes do Plagiadíssimo.

1:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home