quinta-feira, dezembro 06, 2007

Café Orfeu



Nunca tinha caído
de tamanha altura em mim
antes de ter subido
às alturas do teu sorriso.
Regressava do teu sorriso
como de uma súbita ausência
ou como se tivesse lá ficado
e outro é que tivesse regressado.
Fora do teu sorriso
a minha vida parecia
a vida de outra pessoa
que fora de mim a vivia.
E a que eu regressava lentamente
como se antes do teu sorriso
alguém (eu provavelmente)
nunca tivesse existido.



Manuel António Pina
(in Um Sítio Onde Pousar a Cabeça)


.

14 Comments:

Blogger Maria said...

Adoro o quadro de Picasso.....
... e o poema é muito bonito.

Obrigada
Beijinho, Ana

2:46 da manhã  
Blogger maria m. said...

gosto muito deste poema.
há nele um estado quase pueril de encantamento, deslumbramento...

8:27 da manhã  
Blogger Fernando Rozano said...

Poesia pura, mágica, de encantamento e me trouxe muitas lembranças, além do belo Picasso. Como sempre, sensibilidade. Beijo.

1:26 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
Se sabemos exactamente o que vamos fazer, para quê fazê-lo ?
,
in-picasso
*
xi
*

8:03 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Ana Querida, o desafio não está esquecido. Responderei no fim de semana.Quanto ao poema de hoje, para quem gosta de poesia e a entende como outra forma de abordar a vida, com as suas tristezas e alegrias ´maravilhoso. Boa escolha. quanto à imagem, Picasso é Picasso.
Beijinhosssss mil

9:07 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
A Arca vai a caminho para se juntar ao teu acervo de poesia.
Um beijo
Daniel

12:10 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

O cansaço tomou conta de mim mas vou aparecendo pelos amigos.

Beijinhossss

4:10 da tarde  
Blogger PostScriptum said...

Gosto-te

5:25 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

tua presença só é motivo de alegria e felicidade. obrigado, Ana. semana que vem, tem texto novo. beijo.

6:11 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

Neste poema encontra-se um estado muito subtil de uma alma nova e harmoniosa...
Bom fim de semana
Bjs Zita

10:51 da manhã  
Blogger lena said...

Ana da encosta do mar

vir aqui é mesmo ficar encostada a esta bela encosta e deixar levar pela beleza da poesia que deixas

um poema de Manuel Pina que me toca.

como conheço bem este sabor que brota de cada verso seu

Picasso é inigualável, o teu bom gosto presente e que eu aplaudo!

par ti porque adoro partilhar deixo-te outro poema de Manuel António Pina

O QUE ME VALE

O que me vale aos fins de semana
é o teu amor provinciano e bom
para ele compro bombons
para ele compro bananas
para o teu amor teu amon
tu tankamon meu amor
para o teu amor tu te flamas
tu te frutti tu te inflamas
oh o teu amor não tem com
plicações viva aragon
morram as repartições

Manuel António Pina


o meu abraço de para ti, com carinho e obrigada por estares sempre presente

beijinho muitos

lena

12:13 da tarde  
Blogger Amaral said...

Belo o poema!
Escalar as alturas de um sorriso, disfrutar e regressar lentamente!...

12:39 da tarde  
Blogger Baby said...

Encantou-me este poema, feito de palavras mágicas que me tocaram pela beleza que encerram...
"Fora do teu sorriso
a minha vida parecia
a vida de outra pessoa
que fora de mim vivia"

Agradeço-te, Ana, por o teres trazido até nós.
Beijinhos

8:05 da tarde  
Blogger un dress said...

amo este poeta...:)

10:43 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home