terça-feira, julho 22, 2008

existia uma rua de onde observava o mar



existia uma rua de onde observava o mar
as ondas desaparecidas já, apenas os rochedos
seus mexilhões e anémonas
a ligeira brisa

levantei-me de madrugada, tinha dez anos
balbuciei uns passos até à janela

hoje termino esse passeio pela sala
como se sentisse a água salgada
por entre os dedos

e novamente o mar, abraçando a felicidade
junto às areias.



(in A palavra no cimo das águas)

.

14 Comments:

Blogger Dois Rios said...

doces memórias salgadas.
muito lindo!
beijo,

5:17 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
a rua principal
é líquida e é
profundamente azul,
,
de uma amiga que
ontem me comentou,
,
conchinhas
,
*

8:31 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

o mar é tudo o que mais desejo, e nele vivo em harmonia entre o azul e o verde queo acolhe. beijo, Ana.

9:25 da tarde  
Blogger tulipa said...

Olá Amiga
Começo por te pedir desculpas de andar por aí desaparecida do teu blog.

No entanto, pegando nalgumas das tuas palavras poderia dizer:

existe uma varanda de onde eu apenas uma vez observei o mar;
há 3 meses em casa,
tanto que eu queria voltar
a essa varanda, onde poderia
estar com uma amiga,
conversar, ver o mar
e sentir a brisa ligeira.
Mas...
o tempo vai passando
e, aos poucos,
a esperança vai morrendo
de eu voltar
a essa varanda...

Beijos com cheiro a maresia.

1:47 da manhã  
Blogger Carminda Pinho said...

Ana,
se essa rua, se essa rua fosse minha...

Beijos

3:34 da manhã  
Blogger maria m. said...

que lindo passeio junto ao mar...

9:38 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Existia uma rua, existia o mar, existia a infância e tudo se vai distanciando com o tempo.
Que ao menos se vá tentando preservar o que a vida tem de melhor.

Beijinhos, querida amiga!

9:51 da manhã  
Blogger ~pi said...

ainda

agora

quase na mão

[como

s

~

e

~

6:29 da tarde  
Blogger jasmimdomeuquintal said...

Adoro o mar. Vim mesmo agora de lá... estava espectacular!

6:37 da tarde  
Blogger Maria said...

Hoje
é um passeio que eu nunca termino
frente ao mar...

Belo, Ana

Um beijo

9:23 da tarde  
Blogger FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Ana, belos passeios junto ao mar, são o que eu não dispenso e como vejo tu também...
Adorei o poema Amiga...Beijinhos de carinho,
Fernandinha

10:45 da tarde  
Blogger Odilon said...

Eu me encanto mais com o significado e sentimento pelo mar do que com o próprio.

10:46 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Em miúdo eu via o mar da minha janela.
belos tempos!
Cumprimentos

10:50 da tarde  
Blogger lupussignatus said...

areias

que se

movem



na pele

queimada

pela

memória

5:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home