domingo, novembro 23, 2008

Fundo do mar

Foto de Numero Tokio


Quero ver
o fundo do mar
esse lugar
de onde se desprendem as ondas
e se arrancam
os olhos aos corais
e onde a morte beija
o lívido rosto dos afogados.

Quero ver
esse lugar
onde se não vê
para que
sem disfarce
a minha luz se revele
e nesse mundo
descubra a que mundo pertenço.



Mia Couto


.

13 Comments:

Blogger Maria said...

Não sei comentar Mia Couto, Ana.
Digo apenas que fizeste uma escolha excelente para o dia de hoje.
Obrigada.

Um beijo
(será ao mar que todos pertencemos?)

7:52 da manhã  
Blogger hfm said...

A beleza da depuração!

11:29 da manhã  
Blogger tulipa said...

Não há nada mais fascinante e cativante do que conhecer in loco novas culturas.
Assim o fiz mais uma vez.
Sou uma privilegiada, Deus tem sido meu Amigo por me proporcionar momentos tão magníficos.
Consegui realizar mais um sonho na minha vida.

Noutras áreas a coisa não corre muito bem, mas a Esperança é a última a morrer, continuo diariamente na luta por aquilo que quero, hei-de conseguir.

Beijinhos.
Boa semana.

Também regresso HOJE depois de 12 dias ausente.

MIA COUTO - SEMPRE.
Obrigado pela partilha.

11:54 da manhã  
Blogger lupussignatus said...

metal

resplan

decente



[é o mar

que nos

funde]

3:01 da tarde  
Blogger Maripa said...

Amo Mia Couto.

"Eu que já fui água, seiva vegetal, sou agora gota trémula, raíz exposta."

Beijinho,Ana.

2:58 da manhã  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
quero ler
mia couto, sempre ,
,
conchinhas, envio-te,
,
*

11:16 da manhã  
Blogger ~pi said...

pertencer à

mais

in

te r

rogativa

per tença





~

11:25 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Há um tesouro escondido no fundo do mar. Uma pedra raríssima que Ana sabe onde se encontra. Uma pérola preciosa, uma jóia moldada pela vida. Colhemos o presente e voltamos à superfície.
A praia nos espera com seu sol menos doloroso. Estamos limpos e carregando uma pedra preciosa na mão.

(in O mergulho de Narciso: Os segredos da poesia em Susana Verniere )

( )

11:26 da manhã  
Blogger A.S. said...

Querida Ana...

Da tua encosta, continua a brotar a mais bela poesia!...


Um terno abraço!

1:44 da tarde  
Blogger FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Ana, belíssima poesia como sempre Amiga... Adorei !!!
Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

9:10 da tarde  
Blogger Amaral said...

Um poema belo, muito intenso e profundo.
Tal como a simplicidade que se desprende de cada verso...
É aqui que todos nos sentimos abrigados... pertinho do silêncio que sabemos muito nosso...

12:40 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Amiga Querida

O mar é para mim, desde menina, uma paixão. Para ti também o é. Um elo que aqui criámos há muito e que havemos de conservar. Tudo nasceu no mar e tudo acabará, provavelmente, nele.
Mia Couto é outra paixão. Literária. Ele recria, renova, dá mais força à língua que falamos. Quer na poesia, quer na prosa é um autor contemporâneo muito amado.
Obrigada por nos teres oferecido mais um poema.
A poesia é outro elo que nos une.
Bem-hajas, amiga!
Beijinhos

6:28 da manhã  
Blogger O Profeta said...

Esta carícia de fresca brisa
Transporta a beleza de Oriente
Uma voz doce cede ao silêncio
Esta aurora acorda finalmente

A sombra perdeu-se na luz
Escuto o pranto e o riso na bruma
Palavras fugindo ao sentido
Lembranças perdidas na espuma


Boa semana


Mágico beijo

10:05 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home