sábado, janeiro 30, 2010

A morte afinal não custa nada

Foto de Lili Karadjova aqui



A morte afinal não custa nada, diz-me
a minha voz insensata como se
já lá tivesse estado. E logo te transmito
o que a minha voz me disse, porque
uma coisa destas merece ser divulgada.

Agora a saudade de te ter tido
junto de mim algum tempo esbarra
com preocupações e raiva
sobre como o mundo está.
Uma lástima, acrescentas, e o pior
está para vir. Quanto a nós, não sei:

a vida dá muitas voltas, quem sabe
o que pode acontecer. Mas este futuro
assim misterioso é ainda mais triste
do que qualquer passado triste.
Quem me dera que dissesses
presente quando fosse preciso.

Sem amor a gente anda por aqui
a gemer de dor por dentro, é a verdade
pura e simples e o resto é conversa.
Já que o mundo está como está
ao menos que o lastimássemos a dois.




Helder Moura Pereira
(in Mútuo Consentimento)

.

11 Comments:

Blogger Maria said...

Também creio que a morte não custa nada para quem morre. Quase diria que (quase) sei. O pior é mesmo para quem fica vivo e com saudades de quem partiu...

Não me queria ter lembrado disto...

Um beijo, Ana.

3:04 da manhã  
Blogger AnaMar (pseudónimo) said...

A morte não custa nada. Posso afirmá-lo.
Já custará querer morrer e não conseguir. O que é um disparate, mas acontece.:-(
Viver é o verbo, o princípio.
E o que custa é quem fica, pois "quem parte, deixa sempre uma parte deixa sempre um pedaço do que construiu...Quem fica, fica sempre sózinho, com a alma ao frio..."
Da canção, "Uma página em branco".
Beijo e vive , que custa mais, mas testa os nossos limites de resistência à(s) dor(es):-))

Bj

12:36 da tarde  
Blogger hfm said...

É repetitivo mas gosto muito destes poemas!

12:58 da tarde  
Blogger Maripa said...

...a partir do dia que nascemos,caminhamos,inflexivelmente,para ela. É a única certeza que temos na vida.

Se custa ou não,não sei...
Ver partir quem se ama,isso sei,dói demais.

Beijinho,Ana.

10:27 da tarde  
Blogger Maria said...

Não te preocupes, Ana. São apenas as minhas memórias, com que fatal e recorrentemente tropeço...

Um beijo.

4:33 da manhã  
Blogger A.S. said...

Querida Ana...

Utilizando um termo muito vulgar digo:

É fatal como o destino!
O segredo, está em saber conviver com essa inevitabilidade!

Beijos carinhosos
AL

6:31 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

.

. a morte, a.penas curva .

. a ser recta ascendente .

. um beijo, Ana .


. sempre,,, .

. paulo .

.

7:17 da tarde  
Blogger tulipa said...

Pelos comentários aqui lidos há opiniões bem diferentes.
Eu continuo a achar que "custa e muito" partir quando nos sentimos ainda capazes de cá andar.

Hoje (31-Janeiro) é um dia especial, relembro Mahatma Gandhi.
Nunca é demais lembrá-lo e homenageá-lo.
Ontem terminou a minha exposição de fotografia sobre a Índia - em várias partes faço referência a Ganghi, inclusivamente uma das imagens mais bonitas da exposição é o túmulo de Gandhi.

Hoje recorri aos conselhos dos arcanos e do horóscopo, saiu o seguinte:
No período que vai de 31/01 (Hoje) a 03/02, o Sol se encontrará na Casa 4 e a Lua na Casa 11 do seu mapa, Ester. Seu sentimento de bem-estar emocional estará associado aos seus amigos queridos, mas de uma forma mais introspectiva: bom momento para selecionar quem é mesmo seu amigo, passar uma peneira fina! Este é um momento particularmente propício para fazer reuniões em casa com as pessoas mais queridas, ou mesmo visitar amigos-irmãos. Gradualmente, sua alma se abre para uma fase bem mais sociável, que emergirá nos próximos dias!

Pois, há que seguir os conselhos!!!
Boa semana.

9:48 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Poema interessante. Sofrer a dois? Antes isso que nada? Talvez, não sei... Há quem sonhe com a solidão...
Um beijo
Daniel

5:18 da tarde  
Blogger maria manuel said...

na verdade, tudo custa (mais ou menos) mas partilhado, custa menos certamente.

um beijo grande, Ana.

10:42 da manhã  
Blogger Baby said...

Ninguém poderá dizer com propriedade que a morte não custa nada...é algo que os partiram guardam ciosamente.
Acredito, porém, que se muitos partem em paz, outros o fazem à custa de uma luta perdida.

Bjs.

6:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home