quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Espera

Foto de Jure Kravanja aqui


Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.

Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.


Eugénio de Andrade
( in Corpo de amor )


.

6 Comments:

Blogger hfm said...

Ele, sempre!

2:13 da tarde  
Blogger A.S. said...

Querida Ana,

Na sua intemporalidade, no amor tudo é possível! Até florescer uma pedra...

Beijos...
AL

4:09 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
espero
para além do sempre . . .
,
conchinhas,
,
*

2:50 da tarde  
Blogger João Videira Santos said...

Magnifico este poema de um mestre da poesia!

10:41 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

.

. de Eugénio, sempre o génio .

. sempre e para sempre .

. beijos mil .

. um bom fim de semana .

.

. paulo .

.

5:15 da tarde  
Blogger Baby said...

Eugénio de Andrade é o meu poeta de eleição, toda a sua poesia me toca profundamente. Assim agradeço-te a escolha.

Beijinhos.

10:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home