sábado, julho 30, 2011

A morte é a curva da estrada

Foto do Google



A morte é a curva da estrada,
Morrer é só não ser visto.
Se escuto, eu te oiço a passada
Existir como eu existo.

A terra é feita de céu.
A mentira não tem ninho.
Nunca ninguém se perdeu.
Tudo é verdade e caminho.


Fernando Pessoa
(in Cancioneiro )

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:52 da tarde  
Blogger tulipa said...

AMIGA

HOJE TENHO UMA SURPRESA PARA TI

Decorria o ano de 2007
há 4 anos
e deixaste este comentário
no meu outro blog
"KALINKA"!

At 11/7/07 17:18, Ana said...
Sendo espanhola ou portuguesa, Olivenza é linda. Tem vestígios da nossa presença, que eles conservam... e bem. Fico contente de saber que andaste por lá. Beijinhos, amiga.

Vem ao "Deabrilemdiante"!!!

8:55 da tarde  
Blogger Isamar said...

A morte é o despiste, irreversível, na curva da estrada da vida e assim se fica longe dos olhos mas sempre perto do coração daqueles que nos amam.
Continuemos os caminhos da poesia contigo.
Fernando Pessoa é eterno. A imagem é linda.

Bem-hajas, amiga!

Beijinhosssss

12:14 da tarde  
Blogger Baby said...

A morte, segundo Pessoa, é a curva da estrada.
Será, realmente, a curva mais apertada que faremos, mas como será feita na terra, também será feita de céu.

Beijo.

3:46 da tarde  
Blogger A.S. said...

Querida Ana,

Quanta verdade em cada verso!


Beijos...
AL

3:39 da tarde  
Blogger Graça said...

Pessoa, sempre!

Beijo de carinho.

4:22 da tarde  
Blogger musicaquatica said...

é só não ser visto...

é ser pensado e recordado.

partir para depois da curva da estrada... aquele lugar que se não vê mas que sente quando a vida se consome.

aquele lugar, talvez perfeito, que recusamos e tememos porque é terra o chão que julgamos conhecer.

aquele céu azul de paz infinita.

telvez morrer seja tudo isso.

um beijo,

isabel

1:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home