sábado, maio 14, 2011

A meu favor

Tamara Lempicka



A meu favor
Tenho o verde secreto dos teus olhos
Algumas palavras de ódio algumas palavras de amor
O tapete que vai partir para o infinito
Esta noite ou uma noite qualquer

A meu favor
As paredes que insultam devagar
Certo refúgio acima do murmúrio
Que da vida corrente teime em vir
O barco escondido pela folhagem
O jardim onde tudo recomeça



Alexandre O'Neill
(in Poesias Completas 1951-1986 )

13 Comments:

Blogger hfm said...

A seu favor - a sabedoria.

6:22 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

.

.

. porque "há palavras que nos beijam como se tivessem boca" .

.

. um beijo meu .

.

.

1:18 da tarde  
Blogger iris_esfenoidal said...

perfeitas as palavras de o'neill,
tão escassas vezes reveladas.

talvez porque "mitrani" nenhuma
houvesse além daquela a quem se devem
alguns dos mais belos poemas de
amor da literatura portuguesa (e do mundo).

muito obeigada pela partilha.

isabel:)

9:45 da tarde  
Blogger iris_esfenoidal said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

9:45 da tarde  
Blogger tulipa said...

ONTEM...SÓ ONTEM
Aliás, queria que muitos mais dias da minha vida fossem como ontem.
Queria que muitas semanas da minha vida fossem como esta semana.
Uma semana de emoções lindas, puras e fortes.
Interrogo-me: como é que o meu coração aguenta tantas emoções?
A minha vida é difícil, muito difícil.
...
...

Mas a realidade é outra e ouço o meu nome, chamam-me para ir receber o meu 1º prémio num concurso de fotografia; de seguida, nada mais ouvi, os olhos apontados para o chão e os pés levaram-me até ao palco onde me senti num outro universo.
O MEU UNIVERSO!!!

Amiga, convido-te a passar nos meus 2 blogues para veres imagens do evento de ontem, mas queria especialmente que lesses o que escrevi no post do "Momentos Perfeitos". Depois comenta.
de pedras, fascina-me!..."

E eu pergunto:
Vês as fotos em tamanho grande? É muito mais bonita, é só clicar 2x em cima da foto. Se clicares 1x fica em tamanho médio e 2x em tamanho grande; vê-se muito melhor.
Beijinhos.

11:47 da tarde  
Blogger Ana said...

"Nos teus olhos altamente perigosos
vigora ainda o mais rigoroso amor
a luz dos ombros pura e a sombra
duma angústia já purificada"

Para a Isabel, que me fez voltar a ler " Um adeus português " !

11:48 da tarde  
Blogger Baby said...

A teu favor tens sempre a tua sensibilidade e extremo bom gosto.

Alexandre O'Neil tem o sentimento e a arte da poesia.

Beijos, querida Ana.

7:54 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Espectacular! Li e reli com gosto.

9:13 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Poesia intemporal a favor de nós...
Um beijo
Daniel

8:35 da tarde  
Blogger Isamar said...

Tinha ideia de já ter feito um comentário a este post mas não o vejo.
Quanto ao poema é um dos mais bonitos de O`Neill e tenho-o lido muitas vezes. Ainda assim, aqui, não resisti a relê-lo.

Beijinhos

Bem-hajas!

12:48 da tarde  
Blogger A.S. said...

Tão belo Ana!


Beijos meus,
AL

10:23 da tarde  
Blogger MCampos said...

Alexandre O'Neill, único no seu dizer. Gosto tanto.

Beijinho. (vou passando)

1:06 da manhã  
Blogger tecas said...

Simplesmente belo.Alexandre O'Neil, deixou a alma na sua poesia.
Bjito e uma flor.Bem haja Ana, pelo carinho dos votos de sucesso, para o lançamemto do meu livro.

2:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home