quinta-feira, maio 27, 2010

Os amigos

Friendship (Picasso)
.
.
Esses estranhos que nós amamos
e nos amam
olhamos para eles e são sempre
adolescentes, assustados e sós
sem nenhum sentido prático
sem grande noção da ameaça ou da renúncia
que sobre a luz incide
descuidados e intensos no seu exagero
de temporalidade pura
.
Um dia acordamos tristes da sua tristeza
pois o fortuito significado dos campos
explica por outras palavras
aquilo que tornava os olhos incomparáveis
.
Mas a impressão maior é a da alegria
de uma maneira que nem se consegue
e por isso ténue, misteriosa:
talvez seja assim todo o amor
.
.
José Tolentino Mendonça
(in De Igual para Igual)
.

11 Comments:

Blogger Maria said...

Era bom que todo o amor fosse assim, como o amor entre os amigos...

Um beijo, Ana.

2:06 da manhã  
Blogger hfm said...

Não conhecia. Fiquei apaixonada e revendo-me. Obrigada.

12:14 da tarde  
Blogger Baby said...

"Talvez seja asim todo o amor".
Talvez!

Mais uma escolha plena de sensibilidade.

Beijos.

3:56 da tarde  
Blogger Iris_Esfenoidal said...

Como incessantemente procuro esse amor depurado e leve, que nada transgride e nada pede porque em si mesmo, e por definição, existe. Obrigada pela escolha, uma depurada escolha ;)

9:15 da manhã  
Blogger AC said...

A ternura lúcida dos olhares da nossa afeição...

4:09 da tarde  
Blogger Brancamar said...

A amizade, o mais incondicional dos sentimentos, podem passar os anos,a nossa vida mudar e os amigos estão sempre lá...aqueles qu o são, claro!
Às vezes confunde-se amizade com ligações de passagem e frequentemete há quem venha dizer que se desiludiu com os amigos. Também não os podemos querer à nossa medida, nem moldados por nós, a amizade é algo mais vasto, profundo, que fica sempre, no decorrer dos dias e pode ficar desde a infânci até à morte, mesmo que mudemos, mesmo que não nos vejamos todos os dias.
Este poema de José Tolentino Mendonça é a tradução linda e metafórica da eternidade desse sentimento sem o qual não é fácil viver.

Beijinhos
Branca

7:22 da tarde  
Blogger licínia quitério said...

Estive a percorrer algumas páginas do seu blog e felicito-a pela escolha dos poemas. É de quem gosta mesmo de poesia.

Um beijo.

5:59 da tarde  
Blogger licínia quitério said...

Curioso. É como se a conhecesse :) Acontece...

6:09 da tarde  
Blogger Licínia Quitério said...

Peço desculpa, mas os dois comentários que deixei, por razões que desconheço, não estão correctamente identificados. Espero que este fique.

6:18 da tarde  
Blogger tecas said...

Obrigada por dar a conhecer o talento poético de José Tolentino Mendonça.
Concerteza que a palavra Amor, tem toda a essência que encontramos ao ler este poema.
Adoro passar pela " Encosta do Mar":)
Parabéns ao autor e à Ana.
Bji amigo

11:23 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
os amigos
são poemas renovados,
,
brisas serenas,
deixo,
,
*

3:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home