terça-feira, junho 01, 2010

Não sabes, leitor, ...

Óleo de Maria Azenha


Não sabes, leitor, como estou rodeada de silêncio
há uma ave onde este texto se apoia.
fecho os olhos, e o poema traz para este lugar
o búzio dos cofres

escrevo em filigranas de ar
secretas harpas de sombras
onde as primeiras letras ousam pousar.
durante anos treinei o lúmen do coração
em cântaros de sol subindo os primeiros degraus

depois habituei-me à confidência das aves
pousada na inteligência dos bosques
movidos a vento e água.
acácias entre mãos

por último a ciência da respiração
no sumo das auroras




Maria Azenha
(in de amor ardem os bosques)

.

10 Comments:

Blogger A.S. said...

Querida Ana...

De amor ardem os bosques...
as palavras,
o fulgor do olhar,
o vermelho poente no horizonte!
Ardem as saudades de sede...
junto à fonte!

Beijosss
AL

5:23 da tarde  
Blogger Baby said...

Lindo o poema, leve e simultâneamente profundo, em perfeita consonância com o colorido da imagem.

Beijos.

6:57 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
Por que os poetas fazem sempre exercícios de solidão?
Um beijo
Daniel

8:00 da tarde  
Blogger tulipa said...

OLÁ AMIGA

Parafraseando a poetisa digo:

Não sabes, Amiga Ana,
como estou triste,
continuo à espera da tua visita
e das palavras sobre o "Flirt"
assim que fiz o post
vim logo convidar-te e...
até hoje, nada!!!

Estou rodeada de silêncio
fecho os olhos,
e...deixo-me levar
pela melancolia das horas,
do tempo que passa...
e, eu só, muito só...

Beijos da Tulipa

8:07 da tarde  
Blogger AC said...

Uau, este tocou-me!
Naveguei em equilíbrios delicadíssimos, em que a brisa do bater das asas da mais ínfima criatura é cataclismo avassalador...
Mergulho profundo, sem dúvida!

10:19 da tarde  
Blogger dona tela said...

A CONJUNTURA OBRIGA E AQUI ESTOU EU.
ATENTA E OBRIGADA.

3:24 da tarde  
Blogger . intemporal . said...

.

. e,,, socorro.me na confidência das aves .

.

. bel.íssimo . tudo . de lés.a.lés .

.

. um beijo, .

.

. paulo .

.

7:21 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
búzios do silencio
lançados no vento !
,
conchinhas, ficam,
,
*

2:56 da tarde  
Blogger Graça said...

Adoro Maria Azenha e este livro é belíssimo.

Beijo e bom fim de semana.

[gostei de chegar aqui :)]

12:46 da manhã  
Blogger lupussignatus said...

ourives

do puro

voo

3:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home