sábado, dezembro 04, 2010

Sentir a casa

Foto de Sandy Powers



Sentir a casa, a luz mais densa. Viver agora este contorno
mais do que o de plantas espesso. Temer o espaço,
então, o rectilíneo; ( a memória diz: o útero, o gineceu da flor).
É o solstício no corpo, frigidíssimo som entre folhas,
a memória acorda: nesta hora (visual),
ó porta extinguirmo-nos, rememorar.


Fiama Hasse Pais Brandão
(in Obra Breve)




Na hora de fechar a porta, quando só restam as memórias ...

12 Comments:

Blogger Iris_Esfenoidal said...

que o equinócio torne ao presente o sorrir distante da memória

um beijo

isabel

1:39 da manhã  
Blogger tulipa said...

LINDO.
LINDO. ADOREI.
Obrigada pela partilha.

Hoje estou "encurralada" num quarto de Hotel no Fundão, furiosa com o estúpido dia que aqui passei. Vim eu fazer mais de 300km para ver lugares que não conheço e o tempo metereológico não ajudou nada...que raiva!!! Nem uma foto consegui fazer, com esta chuva forte e a neblina que se instalou.
Felizmente trouxe comigo o portátil e cá estou "ligada" ao resto do mundo.
Boa semana. Beijos

De uma outra forma vou dizer o que hoje sinto:

Casas há que habitam o meu subconsciente
Hoje estavam mesmo à frente
dos meus olhos
parei o carro e admirei-as

Aldeia histórica de Castelo Novo
ali estavam elas, lindas
quis captá-las com
a objectiva da máquina
os meus segundos olhos
mas...a chuva não permitiu
que raiva!!!

A neblina e a chuva
são os elementos que "hoje"
ilustram a paisagem.
...
e, a minha alma chora!

6:46 da tarde  
Blogger hfm said...

Ela. Sempre.

9:17 da tarde  
Blogger Tod(as) palavras said...

poesia extraordinária, com osempre. aqui me alimento, sonho e vivo as palavras. beijo, Ana.

12:50 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Na hora de fechar a porta,

por vezes acendem-se

as luzes!

beijinho

4:24 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Ana
época em que a casa mais no diz...
Obrigado pelo teu conforto.
Um beijo
Daniel

10:55 da tarde  
Blogger tulipa said...

HOJE trago belas flores que captei em Zagreb, no Mercado das Flores...para tentar combater a melancolia que me invadiu...

Depois de 5 dias ausente, numa tentativa quase falhada de fazer umas férias a meu gosto, apenas posso dizer que não me recordo de ter apanhado tanta chuva por m2, em toda a minha vida.
Foi demais!!!

É isso que sinto:
vou perdendo a minha resistência!!!

AMIGA
Tenho saudades tuas.
Beijos.

11:21 da tarde  
Blogger ADiniz said...

Esta imagem remeteu-me exatamente a dois cumes
No mais alto momento o brilho intenso é da memória e lá de cima vejo as lembranças, quase como neblina úmidas pela saudade.
Passa o tempo e os picos da memória invertem e então olho pro alto e vejo com uma luz mais brilhante, mais cor o passado e isso me faz relaxar a face e brotar um leve sorriso e sinto a vida mais intensa pelo fato de ter vivido um momento e sentir uma existência plena e humana.

Bjinhos e dias cheios de SolMaior a vc Ana
ah! um belo dueto, imagem e palavra

11:23 da manhã  
Blogger BRANCAMAR said...

Querida Ana,

Ainda bem que apareceste, tenho andado estes dias com o teu nome na cabeça, com saudades tuas e não era capaz de me lembrar do nome do teu blog, apesar de ver agora que o tenho na minha barra lateral e que a Encosta do Mar é uma referência para mim desde os primeiros tempos. Ontem andei por aqui a pensar em ti e a ver se te via em algum comentário, :)) Não te admires porque a minha memória e o meu estado de espírito não têm andado sempre em alta, depois de um pequeno tratamento estou a ficar melhor, foi um desgaste de muito tempo e eu sempre a teimar enfrentá-lo com a própria força que tenho. Agora resolvi por iniciativa própria pedir uma ajuda, porque me sentia muito desconcentrada e cansada. Também não te tenho visto, espero que esteja tudo bem contigo, começo a ter agora mais um bocadinho de tempo, porque não tenho andado muitas horas por aqui para além de estar temporáriamente a partilhar o computador com a filha.

Por tudo isso fiquei feliz por te encontrar no meu sítio, cada vez acredito mais que sempre tenho o que desejo, quando desejo muito. E cá estou a ler as tuas belas escolhas literárias.
Hoje estou especialmente sensível às memóris, por coisas tão simples como não puder dar uma prenda de Natal a alguém que se perdeu, sem saber muito bem porquê.
Mas, a vida tem outras coisas boas e cumpre-nos apreciá-la nas coisas mais simples e belas e há tantas...
Volto.
Beijos
Branca

8:07 da tarde  
Blogger Graça said...

As tuas escolhas poéticas têm tanto das minhas! Obrigada, Ana, por mais esta magnífica partilha.

Beijo imenso de carinho e bom fim de semana.

1:48 da manhã  
Blogger Canteiro Pessoal said...

Amo Brandão. Lindo seu espaço!

Abraços

Priscila Cáliga

1:12 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
a profundidade
de Fiama !
,
búzios luzentes,
,
*

2:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home